Economia Guterres: "Espaço ibero-americano é um espaço de incontestável tolerância"

Guterres: "Espaço ibero-americano é um espaço de incontestável tolerância"

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) designado, António Guterres, considerou este sábado que o espaço latino-americano pode ser "o centro de uma nova aliança" pelos direitos humanos e pela "tolerância na vivência da multiculturalidade".
Guterres: "Espaço ibero-americano é um espaço de incontestável tolerância"
Miguel Baltazar / Negócios
Lusa 29 de Outubro de 2016 às 22:26

António Guterres deixou esta mensagem na 25.ª Cimeira Ibero-Americana, em Cartagena das Índias, na Colômbia, numa intervenção que foi fechada à comunicação social, mas que cerca de duas horas mais tarde foi transmitida em diferido.

O secretário-geral da ONU designado, que assumirá funções a 1 de Janeiro de 2017, defendeu que hoje existe "um mundo de alguma forma caótico", em que "as relações de poder não são claras" e "a imprevisibilidade e a impunidade têm proliferado", e que é preciso lutar por "uma multipolaridade organizada".

"Para que isso aconteça creio que o espaço ibero-americano é um pilar essencial, porque é hoje essencialmente um espaço de paz, um espaço de afirmação democrática e dos direitos humanos, e um espaço de tolerância na vivência da multiculturalidade", considerou.

O antigo primeiro-ministro português acrescentou que "o espaço ibero-americano pode ser o centro de uma nova aliança à escala global para que os direitos humanos possam encontrar um novo impulso de afirmação em favor das populações de todos os continentes, e finalmente um espaço de tolerância na vivência da multiculturalidade".

António Guterres comparou a realidade ibero-americana com a de "tantos países, nomeadamente do continente europeu", em que "partidos políticos com êxito graças a um populismo xenófobo, à negação dos direitos dos emigrantes e dos refugiados, a um discurso quase de ódio ao estrangeiro e a tudo o que é diferente".

"Quando nós assistimos aos debates eleitorais em muitas partes do mundo e quando sentimos quantas e quantas pessoas, fugindo de conflitos dramáticos, como no caso da Síria, têm dificuldade hoje em passar fronteiras, porque elas tendem a fechar-se, e o respeito pela diferença tende a diluir-se, infelizmente, a verdade é que o espaço ibero-americano é um espaço de incontestável tolerância", disse.

Incluindo-se entre os membros da comunidade ibero-americana, declarou: "Em nenhum dos nossos países um partido populista xenófobo teve êxito. Poderá haver aqui ou ali alguns toques de populismo, digamos, faz parte da vida, mas não do populismo xenófobo a que temos assistido em diversas outras partes do mundo".

"Por isso, num momento em que é essencial uma batalha de valores, creio que o espaço ibero-americano está particularmente bem colocado nessa batalha de valores", reforçou.

Guterres ressalvou que "a paz ainda não está inteiramente alcançada em todo o espaço" ibero-americano. "Mas caminhamos claramente para ela, e isso contrasta com a situação em que infelizmente se encontram África, o Médio Oriente, o Sudeste Asiático, a própria Europa", considerou.

"Por outro lado, a verdade é que no espaço ibero-americano, depois de muitos anos de ditaduras, a democracia triunfou e os direitos humanos se têm afirmado de forma extremamente pujante. Poderá haver aqui ou ali problemas por resolver, mas a direcção, a linha é muito clara", sustentou.

Neste discurso, feito em português, Guterres disse que "existe na vida internacional uma situação difícil para a agenda dos direitos humanos que por vezes aparece em confronto com a agenda da soberania nacional".

No seu entender, "as agendas da soberania servem muitas vezes apenas para ocultar o que são reais violações de direitos", mas "a comunidade internacional tem tido às vezes dois pesos e duas medidas" nesta matéria e "a agenda dos direitos humanos também tem algumas vezes servidos outras agendas escondidas".

Segundo António Guterres, neste quadro, "o espaço ibero-americano é um espaço em que os direitos humanos valem por si".




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 dias

Deve ser o seu comentário ao serviço dos cinco grandes e pernamentes da ONU

pub
pub
pub
pub