Mundo Guterres espera que Trump mantenha "diálogo" e "cooperação" com a ONU

Guterres espera que Trump mantenha "diálogo" e "cooperação" com a ONU

O secretário-geral eleito da ONU adiantou que o “importante é estabelecer um diálogo com a nova administração norte-americana”.
Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres Universidade Europeia atribui "honoris causa" a Guterres
Raul Vaz 16 de Novembro de 2016 às 11:05
António Guterres assinalou esta quarta-feira, sobre a vitória de Donald Trump nas eleições dos Estados Unidos, que o "importante é estabelecer um diálogo com a nova administração norte-americana e encontrar as fórmulas para manter a cooperação que tem existido" entre os Estados Unidos e a ONU.

As declarações de António Guterres foram efectuadas aos jornalistas portugueses em Madrid, à margem da cerimónia da atribuição do título de doutor "honoris causa" da Universidade Europeia.

António Guterres referiu que ainda não falou com Donald Trump, uma vez que não é ainda secretário-geral.

Sobre as funções que vai desempenhar a partir do início do próximo ano, Guterres destacou a importância da experiência de 10 anos que acumulou à frente do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e realçou que as maiores dificuldades que vai encontrar dizem respeito à paz e segurança a nível mundial.


Antes de receber a distinção da Universidade Europeia, Guterres teve um encontro com Mariano Rajoy, a quem agradeceu o apoio do Governo espanhol na sua eleição para a ONU.

Atribuição do título de doutor "honoris causa" a António Guterres é justificada pela Universidade Europeia de Madrid pelo "reconhecimento pelo seu apoio às pessoas apátridas e por salvaguardar os direitos daqueles que se vêm obrigados a deixar o seu país em consequência de guerras, revoluções e perseguições políticas".

 

A atribuição do Doutoramento foi "ponderada" durante um ano e não tem nada a ver com a recente escolha do também ex-primeiro-ministro português para secretário-geral das Nações Unidas, segundo fontes da Universidade Europeia, citadas pela Lusa.

 

Felipe González, presidente do Governo espanhol entre 1982 e 1996, participa na cerimónia no Complexo Universitário Juan Mayorga da Universidade Europeia, em Villaviciosa de Odón, nos arredores de Madrid.

 

Nesta instituição, já foram laureados com este doutoramento o tenista Rafa Nadal, o ex-presidente da Comissão Europeia José Manuel Durão Barroso, o barítono e tenor Plácido Domingo, o primeiro presidente da Polónia democrática, Lech Walesa e o primeiro presidente da África do Sul depois do fim do período de segregação racial conhecido por "apartheid", Nelson Mandela.


(notícia actualizada às 11:28 com mais informação)




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas



OS BURROS.

Curiosamente (ou não) a maioria dos que chamam burros aos eleitores Americanos, por elegerem Trump...

São os burros que elegeram o Socrates Gatuno e o Costa Ladrão, que levaram Portugal à bancarrota!


comentários mais recentes
Gobllin50 Há 3 semanas

Anónimo, Burro e cheio de Azia,

Anónimo Há 3 semanas

POUPAR OS PORTUGUESES A MAIORES SACRIFÍCIOS.

FP e CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

Deverá ser aplicada a todos (atuais e futuros pensionistas da CGA) a mesma fórmula de cálculo das pensões. Esta fórmula terá em conta toda a carreira contributiva (com descontos realmente efetuados).

O valor das pensões deverá ser recalculado todos os anos de acordo com critérios atuariais, procedendo-se anualmente ao aumento ou diminuição do valor das pensões, assegurando desta forma, quer a sustentabilidade do sistema de pensões, quer a IGUALDADE entre atuais e futuros pensionistas.

Anónimo Há 3 semanas


PS ROUBA OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

A FP está a roubar os salários dos trabalhadores do privado...

que pagam impostos cada vez mais altos para sustentar os ELEVADOS salários, e as ABSURDAS pensões da FP-CGA.

Anónimo Há 3 semanas

Não deveria ser mulher a governar os EUA (MUNDO), também não apoio o Trump, a sua ditadura é muito agressiva. espero que saia bem esta eleição feita pelos Americanos. sou da opinião que as eleições dos E.U.A deve ser feita a nível do mundo i.e. todos cidadãos do mundo devem escolher o Pr. dos E.U.A.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub