Autarquias Há 31 autarcas que estão impedidos de se recandidatar

Há 31 autarcas que estão impedidos de se recandidatar

Nas eleições autárquicas de 1 de Outubro, 31 presidentes de Câmara estão impedidos de se recandidatar por estarem a cumprir o terceiro mandato consecutivo no mesmo município. Muitos deles serão candidatos à respectiva Assembleia Municipal. Conheça cada um dos casos.

Entre os 31 autarcas que estão impedidos de se recandidatar nas eleições que decorrem no início do mês que vem, a esmagadora maioria, 17, representa o PSD. Entre eles estão o actual presidente da Câmara da Maia, Bragança Fernandes, que é também presidente da distrital do PSD no Porto, ou Celso Ferreira, autarca de Paredes. O PS tem apenas nove autarcas nesta situação, entre os quais está Gil Nadais, autarca de Águeda.

A CDU conta com cinco presidentes impedidos de se recandidatar, entre os quais está Carlos Humberto, do Barreiro, e António José Correia, de Peniche.

Armando Varela, que preside à Câmara de Sousel, vai dar o salto e candidatar-se à Câmara de Portalegre, contornando a lei de limitação de mandatos, que apenas impede candidaturas sucessivas ao mesmo município. Na Póvoa de Lanhoso e no Sátão, os autarcas Manuel Baptista e Alexandre Vaz fazem parte da lista à Câmara Municipal, surgindo ambos como número dois, a seguir ao candidato à presidência.

Vários destes autarcas são candidatos à presidência da Assembleia Municipal do respectivo concelho. Alguns deles admitem regressar a funções privadas – Luís Franco, que deixa a Câmara de Alcochete, deverá abrir um escritório de advogados; António Vassalo Abreu, que abandona Ponte da Barca, deverá reformar-se, e Francisco Lopes planeia regressar à EDP, empresa em que trabalhava antes de se tornar presidente da Câmara de Lamego.



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
tojornais Há 2 semanas

É pá então ficam no desemprego ou vão diretamente para uma empresa do estado como habitualmente? Sim é o habitual nestes casos pois são rapaziada muito válida habituada ao sistema e conotada com a máfia do poder instalado.

Francisco António Há 2 semanas

A limitação de 3 mandatos autárquicos é uma medida sensata e muito acertada ! Mais de 1 década é demais e só acarreta rotinas e leva-os a julgarem-se insubstituíveis ! Nos tempos seguintes poderão dedicar-se mais às esposas, maridos ou aos netos ! Quanto aos amigos devem tê-los perdido qua todos

Anónimo Há 2 semanas

Parecem abutres. Não percebo nada destas leis de m@erda que permitem que qualquer bardam@erda vindo do cu de Judas se possa candidatar a qualquer município.

E o de Celorico de Bastos fica ? Corrupto. Há 2 semanas

Grande herói do PSD sem vergonha na monarquia de Celorico de Bastos.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub