Impostos Há uma aplicação não oficial do eFatura

Há uma aplicação não oficial do eFatura

A aplicação quer tornar mais fácil o acesso ao sistema da Autoridade Tributária e Aduaneira. O Ministério das Finanças foi contactado para perceber se a aplicação estava autorizada, mas nunca chegou a responder.
Há uma aplicação não oficial do eFatura
Bruno Simão
Negócios 13 de fevereiro de 2018 às 10:25

A diferença está num hífen. Há uma aplicação de telemóveis que se confunde facilmente com o sistema da Autoridade Tributária e Aduaneira, escreve o jornal Público desta terça-feira, 13 de Fevereiro.

A aplicação em causa chama-se eFatura e permite aos utilizadores gerir a sua conta oficial do e-fatura a partir do telemóvel.


A ideia, escreve o Público, surgiu em 2013 pela mão de dois programadores, que agora asseguram que não é guardada qualquer informação pela sua aplicação. Esses dados ficam apenas no dispositivo utilizado e no próprio portal oficial e-fatura.


Confrontada, a Comissão Nacional de Protecção de Dados já veio recomendar que os contribuintes ponderem os seus usos em aplicações como esta, que já reuniu cerca de 70 mil utilizadores.


A Autoridade Tributária, por sua vez, diz ter comunicado esta questão "em tempo oportuno (…) às autoridades competentes". A CNPD confirma ter recebido essa solicitação e pedido o comentário do Ministério das Finanças, que não viria a chegar, segundo relata o Público.


Os contribuintes têm até esta quinta-feira, 15 de Fevereiro, para validar as facturas pendentes e confirmar os dados sobre a constituição do seu agregado familiar no portal do e-fatura.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
MM Há 6 dias

E qual o problema? a AT não disponibiliza uma API pública para o serviço?
A preocupação com a segurança resolve-se se a AT disponibilizar autenticação por OAuth para que as aplicações de terceiros nunca tenham acesso à password.
E mais, deveriam operar num modelo de Open Data.

Anónimo Há 6 dias

Em vez de invovar, o chico-esperto tuga quer sacar uns milhones aos contribuintes através de um processo em tribunal por copyright infringement de uma ideia sem qualquer nexo ou ética. Nada de novo na lixeira.

General Ciresp Há 6 dias

E a economia digital a funcionar.Velhos tempos aqueles em q se faziam as contas com papel e lapis.Vao perguntar a um farrapeiro do barracao parlamentar quanto e 3x4 e vejam a resposta q dao.Web summit esta mesmo prestes atingir o auge da tecnologia junto ao rio almaraz.Vao ser medalhados c os futebo

pub