Política Hillary Clinton regressa ao combate político com "comité de resistência" a Donald Trump

Hillary Clinton regressa ao combate político com "comité de resistência" a Donald Trump

A democrata Hillary Clinton anunciou a criação do Comité de Acção Política "Onward Together" (Juntos em Frente) com o objectivo de "resistir" ao presidente Donald Trump, que a derrotou nas eleições de Novembro de 2016.
Hillary Clinton regressa ao combate político com "comité de resistência" a Donald Trump
Reuters
Lusa 15 de maio de 2017 às 23:28

"Os americanos estão a fazer ouvir a sua voz como nunca. Desde a Marcha das Mulheres, passando pelos aeroportos de todo o país onde as comunidades deram as boas-vindas a emigrantes e refugiados, até às reuniões com os seus representantes eleitos", justifica o "Onward Together" num email em que solicita doações que financiem o movimento.

 

O anúncio da criação do movimento está a ser interpretado como o regresso de Hillary Clinton à primeira linha do combate político, após ter perdido para Donald Trump uma corrida eleitoral em que surgia como favorita na maioria das sondagens. Desde essa altura, a candidata tem evitado aparecer em público.

 

Os Comités de Acção Política (PAC, na designação em inglês) podem recolher fundos anónimos sem limite para fazer campanha de maneira independente a favor de candidatos políticos ou de ações políticas específicas.

 

São por isso habitualmente usados por pré-candidatos que precisam de financiar uma futura campanha, ou para apoiar "pelo lado de fora" um político cuja campanha oficial está sujeita a um controlo mais apertado das leis eleitorais.

 

"Onward Together" utiliza uma imagem semelhante à de "Stronger Together", lema da campanha de Clinton, uma organização dedicada a levar em frente "uma visão progressista da sociedade americana", tendo contribuído de maneira decisiva para os 66 milhões de votos recebidos nas urnas pela candidata do Partido Democrata.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 20.05.2017

Ela nao aceita ter perdido as eleicoes e esta a tentar uma geringonca a' portuguesa, com mentiras e trafulhices; USA nao e' Portugal

pub