Europa Homem detido não seria o condutor do camião do atentado em Berlim

Homem detido não seria o condutor do camião do atentado em Berlim

O requerente de asilo paquistanês, detido como principal suspeito do ataque ao mercado de Natal na capital alemã, não seria o condutor do camião. O jornal Die Welt noticia que o condutor estará a monte e armado.
Homem detido não seria o condutor do camião do atentado em Berlim
Bloomberg
David Santiago 20 de dezembro de 2016 às 13:32

Afinal a polícia alemã terá detido o homem errado. O jornal alemão Die Welt adianta que o condutor do camião responsável pelo ataque a um mercado de Natal em Berlim está a monte e encontra-se armado. Segundo a Associated Press, o chefe da polícia berlinense, Klaus Kandt, já admitiu que as forças de segurança alemãs não estão certas de que o cidadão paquistanês detido a 2 km do local do atentado seja o condutor do veículo pesado.

Entretanto a polícia já avisou, inclusivamente através da rede Twitter, que a população deve permanecer "alerta", sublinhando que o paquistanês detido reiterou nos interrogatórios não ter sido ele a conduzir o camião.

 

O ministro alemão do Interior, Thomas de Maizière, explicou entretanto que o cidadão paquistanês tido inicialmente como principal suspeito do atentado se chama Naved B e entrou em território alemão em 31 de Dezembro de 2015, tendo chegado, posteriormente, a Berlim já em Fevereiro deste ano. Antes, já tinha sido adiantado que Naved, 23 anos de idade, tinha recebido uma permissão de residência temporária em Julho último. Desde então tinha tentado levar a sua família para a Alemanha. As autoridades alemãs ainda não tomaram, até esta altura, nenhuma decisão sobre o seu pedido de asilo. 

Também Maizière adiantou que este requerente de asilo negou as acusações acerca do envolvimento no ataque terrorista que resultou na morte de 12 pessoas e em 48 feridos, 18 deles em estado muito grave. O ministro acrescentou ainda que o nome de Naved B não consta das bases de dados de suspeitos com ligações a actividades terroristas. 

 

Entretanto o Estado Islâmico (EI) reivindicou o ataque, contudo o ministro do Interior da Alemanha garante que nesta altura as autoridades germânicas não atribuem muita credibilidade à garantia dada pelo grupo extremista sunita.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub