Finanças Públicas Horta Osório defende plano para reduzir dívida pública que envolva toda a sociedade  

Horta Osório defende plano para reduzir dívida pública que envolva toda a sociedade  

António Horta Osório defendeu hoje que Portugal precisa de um plano a médio prazo que envolva toda a sociedade para diminuir o elevado nível de dívida pública, sob pena de alguma turbulência colocar logo o país "em sobressalto".
Horta Osório defende plano para reduzir dívida pública que envolva toda a sociedade  
Bloomberg
Lusa 22 de junho de 2017 às 14:51

"Deveríamos ter um plano a médio prazo na sociedade para diminuir o nível da dívida face ao produto [interno bruto], ou qualquer sobressalto ou problema externo pode voltar a pôr-nos numa situação muito difícil, que obviamente os portugueses não querem voltar a passar", disse o presidente do banco britânico Lloyds, em Lisboa, num almoço-debate da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa.

 

António Horta Osório citou o caso da Irlanda para considerar que este demonstra que tal é possível "desde que haja vontade da sociedade e políticas adequadas para o fazer".

 

Segundo os últimos dados disponíveis, a dívida pública representava em Março 130,6% do Produto Interno Bruto (PIB), ligeiramente acima dos 130,4% de Dezembro de 2016.

 

Sobre a evolução da economia portuguesa nos últimos anos, destacou o equilíbrio das contas externas e a recuperação do emprego como elementos positivos, mas considerou que a estagnação da produtividade coloca problemas quanto a aumentar no futuro a riqueza de cada cidadão, o PIB 'per capita'.

 

"A única maneira de ter melhores salários por hora é com produtividade", afirmou.

 

António Horta Osório defendeu ainda que o Governo deveria promover uma "política de imigração inteligente", tal como há em Singapura ou na Austrália, capaz de atrair pessoas qualificadas que ajudem a colmatar o problema de envelhecimento do país.

 

É que, disse, actualmente há um reformado para três pessoas no activo, mas em 30 anos será um reformado para cada dois.

 

Este almoço-debate conta com a presença de Paulo Portas, que actualmente é vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa.