IMI IMI: Reavaliações reduzem valor das casas em 5 mil milhões
IMI

IMI: Reavaliações reduzem valor das casas em 5 mil milhões

O Diário de Notícias escreve que, no último ano, o valor patrimonial das casas que estão sujeitas a pagamento de IMI em Portugal diminuiu 4,7 mil milhões de euros entre 2014 e 2015. Uma descida justificada com o aumento dos pedidos de reavaliação dos imóveis.
IMI: Reavaliações reduzem valor das casas em 5 mil milhões
Bruno Simão/Negócios
Negócios 19 de abril de 2017 às 09:13

Em 2014, o valor patrimonial global dos prédios urbanos ascendia a 419,38 mil milhões de euros, tendo caído para 414,68 mil milhões no ano seguinte. Por trás desta queda está um acréscimo dos pedidos de reavaliação das casas pelos proprietários, para além das correcções já feitas durante o processo de avaliação feito em 2012. O DN escreve que, quando se soma esse efeito ao aumento do número de isenções e à descida das taxas, isso levou a um recuo da receita de IMI de 1.577 para 1.534 milhões de euros.

 

"Há uma maior atenção por parte dos contribuintes sobre esta questão", afirma Paulo Ralha, presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, ao DN, acrescentando que estes movimentos se acentuam quando chega o momento de pagar o IMI.

 

O Ministério das Finanças confirma que a diminuição do valor patrimonial global é justificada com "correcções no âmbito da avaliação geral da propriedade urbana e, bem assim, de novos pedidos de avaliação".

 

Qualquer proprietário pode pedir uma actualização do valor patrimonial da sua casa, desde que tenham passado três anos sobre a última avaliação. O processo é gratuito. 


A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 19.04.2017

O governo das esquerdas unidas ainda não acredita na importância dos mercados sempre em mudança por via das forças de mercado feitas de oferta e de procura construídas com base nos gostos, hábitos, expectativas e necessidades de todos os agentes económicos tendo em conta as suas mais elementares liberdades, direitos e garantias.

comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Os impostos sobre imóveis, sobre o trabalho, etc são brutais. Existem para continuar a alimentar o bando de políticos corruptos que assaltaram Portugal nos últimos 30 anos. Os políticos podem ter os seus imóveis avaliados em baixa porque comem todos do mesmo tacho. Desviam dinheiro e não são presos!

Anónimo Há 4 semanas

O imovel do senhor Cavaco Silva já foi reavaliado? A casa que "comprou" pode continuar com baixo valor de imi? Os Portugueses não são todos Iguais! Os políticos podem ter todas as benesses dos amigos enquanto os outros cidadãos vêem as reclamacoes rejeitadas!

Amilcar Alho 19.04.2017

Atendendo a que os coeficientes de vetustez e localização baixaram pedi a avaliação da minha casa. Os vigaristas das finanças subiram o VPT, alteraram abusivamente para cima os outros coeficientes. Resolvi não impugnar, mas fiquei com uma péssima imagem destes vigaristas, corruptos.

Anónimo 19.04.2017

O valor das casas é o preço de mercado das casas. Nenhum mercado, seja laboral, de capitais ou outro, é imutável. Em todos eles os preços de mercado sofrem constantes alterações e em ambos os sentidos, ascendente e descendente. Não se pode ser tão ingénuo ou ignorante ao ponto de sugerir que nos mercados laborais o preço de equilíbrio é sempre constante e quando se move só se desloca no sentido ascendente.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub