Conjuntura Importações crescem quase três vezes mais do que as exportações em Julho

Importações crescem quase três vezes mais do que as exportações em Julho

As exportações de bens desaceleraram em Julho, crescendo 4,6% face ao mesmo mês de 2016, enquanto as importações ganharam ímpeto, avançando 12,8%. Dois movimentos que penalizam a balança comercial.
Importações crescem quase três vezes mais do que as exportações em Julho
Pedro Elias
Nuno Aguiar 08 de setembro de 2017 às 11:05
O crescimento das vendas de mercadorias ao exterior abrandou pelo segundo mês consecutivo. Depois de terem avançado 16,2% em Maio, aumentaram 6,7% em Junho e 4,6% em Julho, mostram os dados publicados esta manhã pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Ao mesmo tempo, as importações têm mantido um ritmo mais elevado. Em Julho cresceram 12,8%, depois de 6,1% no mês anterior.

Para as exportações, as vendas para países fora da União Europeia continuou relativamente forte (12,6%), mas as intra-comunitárias cresceram apenas 2%. Já as compras a países da UE aumentaram 8,7% e as restantes 28,5%.

"Em Julho de 2017, em termos das variações homólogas mensais, as exportações aumentaram 4,6% (6,7% em Junho), sobretudo em resultado das exportações para os países Extra-UE que cresceram 12,6% (8,2% em Junho)", pode ler-se na publicação do INE. "As importações cresceram 12,8% (6,6% em Junho), devido à evolução de ambos os tipos de comércio: 8,7% no Comércio Intra-UE (6,8% em Junho) e 28,5% no Comércio Extra-UE (6,1% em Junho)."
Se excluirmos os combustíveis destas contas - uma mercadoria mais volátil devido à subida e descida dos preços - os valores alteram-se um pouco, mas as vendas continuam a avançar muito mais rápido do que as compras. Nessa análise, as exportações crescem 5,1% e as importações 9,4%. 

A conjugação dos dois movimentos traduz-se num agravamento do défice da balança comercial de bens que, em Julho, foi 1.057 milhões de euros. 446 milhões mais negativa do que no mesmo mês de 2016. Sem combustíveis, a balança de bens também é negativa, mas em menor grau (-625 milhões de euros ).

Recorde-se que o INE publica apenas os dados do comércio de mercadorias. As exportações e importações de serviços – onde está o turismo – são publicadas pelo Banco de Portugal e têm contribuído para um maior equilíbrio comercial face ao exterior.

(Notícia actualizada às 11h30)




A sua opinião18
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

A caminho do abismo... Venha mais uma troika daqui a uns anos.

comentários mais recentes
pertinaz Há 1 semana

BIBÓ DESGOVERNO...!!!

Jerry Há 1 semana

Porque voces nao PUBLICARAM O MEU CMENTARIO? Porque eu nao sou da vossa cor ? Tenho que ser comunista ?

Anónimo Há 1 semana

Tu já és um miserável por natureza seu grande Cão!

Noticia para papalvos Há 1 semana

O PIB que é o que interessa está em máximos.

ver mais comentários
pub