Ásia Importações e exportações chinesas sobem menos do que o esperado

Importações e exportações chinesas sobem menos do que o esperado

As exportações do país, denominadas em yuan, aumentaram 11,2% em Julho face ao mesmo mês do ano passado, enquanto as importações cresceram 14,7%.
Importações e exportações chinesas sobem menos do que o esperado
Reuters
Rita Faria 08 de agosto de 2017 às 07:44

O excedente comercial da China aumentou em Julho pelo quinto mês consecutivo, com um crescimento sólido das exportações e um abrandamento na subida das importações.

De acordo com os dados divulgados pela Administração-geral das Alfândegas, as exportações do país denominadas em yuan aumentaram 11,2% em Julho, face ao mesmo mês do ano passado, enquanto as importações cresceram 14,7%. Em dólares, as vendas para o exterior aumentaram 7,2% e as importações 11%, o que compara com o crescimento de 11,3% e 17,2% em Junho, respectivamente.  

 

Os dados ficaram aquém do esperado pelos analistas, que apontavam para um aumento de 15% das importações, e de entre 18% e 22% das exportações.

 

A segunda maior economia do mundo alcançou um excedente comercial de 321.200 milhões de yuan (cerca de 40.460 milhões de euros), em Julho, uma subida de 1,4%, relativamente ao mesmo mês de 2016.

 

"O crescimento das exportações diminuiu em Julho, lembrando que, apesar da procura robusta, a fábrica do mundo tem um alcance limitado para aumentar a participação no mercado", salientaram os economistas da Bloomberg Intelligence, Tom Orlik e Fielding Chen, numa nota citada pela agência noticiosa.

 

A China, que tem sido acusada de abusos comerciais por parte do presidente norte-americano Donald Trump, viu as exportações para os Estados Unidos subirem 8,9%, uma descida significativa face ao crescimento de 19,8% registado em Junho. O excedente comercial com a maior economia do mundo desceu para 25,2 mil milhões de dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar