Saúde Imposto nos refrigerantes rende 10 milhões abaixo do esperado

Imposto nos refrigerantes rende 10 milhões abaixo do esperado

O Estado queria ganhar 80 milhões de euros com o Imposto Coca-Cola mas não passou dos 70 milhões no ano passado. O Verão foi o período que mais contribuiu.
Imposto nos refrigerantes rende 10 milhões abaixo do esperado
bloomberg
Negócios 02 de fevereiro de 2018 às 09:52

O imposto sobre as bebidas açucaradas, também conhecido como Imposto Coca-Cola, rendeu 69,6 milhões de euros aos cofres do Estado entre Fevereiro e Dezembro do ano passado.

Segundo a TSF, o valor fica 10 milhões de euros abaixo dos 80 milhões que tinham sido traçados como objectivo no Orçamento do Estado para 2017.


Os dados do Ministério das Finanças mostram que a receita foi maior no Verão, confirmando a ideia de que o consumo de refrigerantes é maior nos meses de calor.


Estes quase 70 milhões de euros correspondem a "valores reais cobrados líquidos (deduzidos de reembolsos e de transferências para as regiões autónomas)", explicou o gabinete de Mário Centeno, àquela rádio.


Entre Fevereiro e Julho, o consumo de bebidas açucaradas caiu 25%, remata ainda a TSF. Não há ainda dados para o resto do ano.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Comentador Há 3 semanas

Ou... , caro Anónimo, a taxa tem o efeito puramente dissuasor que qualquer taxa tem. Não implica uma consciencialização maior nem cuidado acrescido com a saúde. A mudança de comportamento é compulsiva e não derivada de escolhas de mercado livre.

Anónimo Há 3 semanas

Excelente notícia! Mas pode significar duas coisas... ou o estado foi enganado e o imposto não foi cobrado... ou então a lei está a ter resultados porque os Portugueses estão mais cuidadosos com o excesso de açúcar e com os problemas da obesidade sobretudo nas crianças...

pub