Economia Incêndios: 40 feridos e dezenas de pessoas retiradas de casa desde quarta-feira

Incêndios: 40 feridos e dezenas de pessoas retiradas de casa desde quarta-feira

Quarenta feridos e dezenas de pessoas retiradas das suas casas desde que o fogo em Abrantes começou, na quarta-feira. É este o balanço feito pela Protecção Civil, que revela que o incêndio em Tomar foi dado como dominado às 12:30 deste domingo.
Incêndios: 40 feridos e dezenas de pessoas retiradas de casa desde quarta-feira
Reuters
Lusa 13 de agosto de 2017 às 14:35

Em declarações à agência Lusa, a adjunta nacional de operações da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar, afirmou que, às 13:20, eram cinco os incêndios mais preocupantes: Mealhada, Alvaiázere, Ferreira do Zêzere, Coimbra e Castelo Branco.

 

O incêndio em Tomar, que lavrava há 20 horas, foi dado como dominado às 12:30, embora os meios de mantenham de prontidão, tendo em conta o risco de reactivação.

 

Desde quarta-feira, altura em que começou o fogo em Abrantes, seguido de outras ocorrências em vários concelhos, dezenas de pessoas foram retiradas das suas casas por causa das chamas.

 

Segundo Patrícia Gaspar, o incêndio em Coimbra obrigou à retirada de 40 pessoas, que, entretanto, já regressaram às suas habitações.

 

O fogo na Mealhada, distrito de Aveiro, obrigou à retirada de 16 idosos, e em Ferreira do Zêzere, distrito de Santarém, também se registaram pessoas deslocadas.

 

Em Tomar, as chamas obrigaram à retirada de cerca de 80 pessoas das suas casas situadas em várias localidades.

 

No Louriçal, distrito de Castelo Branco, foi evacuada uma unidade hoteleira, além de residentes de casas em nove localidades.

 

Desde quarta-feira que os fogos já causaram 40 feridos – entre bombeiros e civis -, dos quais apenas um com alguma gravidade.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub