Empresas Incêndios: Altice/PT vai começar a enterrar cabos de comunicação no Pinhal Interior

Incêndios: Altice/PT vai começar a enterrar cabos de comunicação no Pinhal Interior

A Altice/PT anunciou este sábado que vai começar a enterrar os cabos que suportam as suas redes de comunicações fixas e móveis na região do Pinhal Interior, a zona afectada pelos incêndios de há quatro meses.
Incêndios: Altice/PT vai começar a enterrar cabos de comunicação no Pinhal Interior
A Altice/PT vai começar a enterrar os cabos que suportam as suas redes de comunicações fixas e móveis na região do Pinhal Interior, a zona afectada pelos incêndios de há quatro meses
Cofina Media
Lusa 21 de outubro de 2017 às 14:18

Em comunicado divulgado este sábado, 21 de Outubro, a Altice/PT anuncia anuncia que vai começar a enterrar os cabos que suportam as suas redes de comunicações fixas e móveis na região do Pinhal Interior, a zona afectada pelos incêndios de há quatro meses.

 

Numa primeira fase, informa a empresa, serão colocados em condutas cabos numa extensão de 265 quilómetros.

 

A segurança e resistência dos cabos enterrados em condutas tende a ser maior e a empresa salienta que esta medida "é relevante no combate contra os impactos causados pelos incêndios", sendo uma "solução que permite reforçar as medidas e meios de resposta de emergência e de prevenção".

 

A Altice/PT celebrou um protocolo com a Infraestruturas de Portugal para usar condutas desta empresa pública para promover o enterramento dos elementos de rede (cabos).

 

"Efcetuámos um estudo durante algumas semanas largas porque existe alguma complexidade técnica para fazer esse enterramento. A zona do Pinhal Interior foi definida como prioritária e é nessa zona que vamos começar a promover o enterramento", afirmou à Lusa Alexandre Fonseca, chefe do gabinete tecnológico da Altice.

 

Os elementos de rede a enterrar suportam as diversas redes da Altice/PT, quer móveis, quer fixas, e em determinados traçados suportam também comunicações que pertencem à rede de emergência nacional.

 

A Altice/PT e a Infraestruturas de Portugal querem estender esta solução de enterramento a mais locais do país, podendo chegar até aos mil quilómetros de extensão num horizonte de dois anos.

 

Segundo Alexandre Fonseca, a rede da Altice em Portugal tem uma extensão de 77 mil quilómetros em traçado aéreo e é em parte desse traçado que se pretende ir promovendo um enterramento, passando de cabos assentes em postes para cabos enterrados em condutas das Infraestruturas de Portugal existentes ao longo das principais estradas do país.

 

O responsável da empresa indicou à agência Lusa que a segurança dos cabos enterrados em condutas tende a ser maior do que as infraestruturas assentes em postes de traçado aéreo.

 

Contudo, Alexandre Fonseca avisa que em algumas circunstâncias mesmo os cabos em condutas podem sofrer danos, quando por exemplo as temperaturas desencadeadas por um incêndio são muito elevadas.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Este país continua a ser pequenino...
Não seria altura de aproveitar as infraestruturas que vão ser criadas e a EDP enterrar a rede aérea também? Será que as antenas funcionam sem electricidade (sabendo que a autonomia das antenas são apenas horas) será que as bombas de agua tb funcionam a baterias

pub