Economia Incêndios: Governo decreta dispensa de trabalhadores que sejam bombeiros nos distritos em alerta

Incêndios: Governo decreta dispensa de trabalhadores que sejam bombeiros nos distritos em alerta

O Governo determinou esta sexta-feira a dispensa de funcionários públicos e do sector privado que sejam ao mesmo tempo bombeiros nos distritos em alerta vermelho "face ao significativo agravamento do risco de incêndio florestal".
Incêndios: Governo decreta dispensa de trabalhadores que sejam bombeiros nos distritos em alerta
Pedro Noel da Luz
Lusa 17 de agosto de 2018 às 21:09

Face ao aumento das temperaturas para os próximos dias o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, assinou hoje um despacho que determina a declaração da situação de alerta vermelho entre sábado e quarta-feira para os distritos de Braga, Bragança, Guarda, Porto, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

 

A Autoridade Nacional de Protecção Civil colocou os sete distritos em alerta vermelho, o mais grave, face a previsões de temperatura alta, baixa humidade e vento.

 

No despacho do ministro, segundo um comunicado hoje divulgado pelo Ministério da Administração Interna, determina-se também a proibição de acesso, circulação e permanência no interior de espaços florestais definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios.

 

E enquanto durar a situação de alerta para os distritos referidos fica também totalmente proibida a utilização de fogo-de-artifício "ou outros artefactos pirotécnicos", e ficam suspensas autorizações que possam ter sido emitidas antes.

 

"O Governo acompanha em permanência o evoluir da situação operacional e apela aos cidadãos para que adeqúem os seus comportamentos ao quadro meteorológico que tem sido amplamente divulgado", diz-se no comunicado do Ministério.

 

As medidas de carácter excepcional, decretadas pela segunda vez por Eduardo Cabrita (a primeira na recente vaga de calor) incluem também a possibilidade de serem canceladas as férias ou folgas de elementos da GNR e PSP, face à "elevação do grau de prontidão e resposta operacional", com reforço de meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamentos dissuasores de comportamentos e apoio a operações de protecção e socorro que possam ser necessárias.

 

O despacho de Eduardo Cabrita contempla também a mobilização em permanência das equipas de sapadores florestais e dos agentes florestais e vigilantes da natureza.

 

E o aumento do nível de prontidão para equipas de resposta nas áreas das comunicações e energia e para equipas de emergência médica, saúde pública e apoio psicossocial.




pub