Ambiente Incêndios: Governo vai declarar estado de calamidade pública

Incêndios: Governo vai declarar estado de calamidade pública

O Governo decidiu avançar com a declaração de “estado de calamidade pública” devido ao risco de incêndio “muito elevado”.
Incêndios: Governo vai declarar estado de calamidade pública
Movenoticias
Sara Antunes 17 de agosto de 2017 às 12:44

O Executivo liderado por António Costa decidiu que vai declarar "estado de calamidade pública". É uma medida preventiva, para que as autoridades estejam preparadas para enfrentar os próximos dias. Em particular no fim-de-semana, altura em que se prevê uma subida acentuada das temperaturas.

"
Face à previsão do agravamento, nos próximos dias, em particular no fim-de-semana, do risco de incêndio muito elevado e máximo, com especial incidência nos distritos do interior das regiões do Centro e Norte e alguns concelhos do distrito de Beja e sotavento algarvio, o Governo, por despacho do Primeiro Ministro e Ministra da Administração Interna, vai declarar o estado de calamidade pública com efeitos preventivos naquelas zonas do território nacional", revela o Governo num comunicado emitido esta quinta-feira, 17 de Agosto.

O Governo explica que, para este efeito, vai decorrer uma reunião "reunião com o Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas, com o Comandante Geral da GNR, Comandante Nacional de Operações de Socorro e Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses tendo em vista a mobilização máxima de meios e pré-posicionamento nas zonas de maior risco."


Este encontro está marcado para esta sexta-feira, 18 de Agosto, às 9:30.


As previsões apontam para que os próximos dias sejam de temperaturas elevadas, com os termómetros a poderem marcar 40.º em algumas regiões.

 

As previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera apontam ainda que vários concelhos estejam com um nível máximo de risco de incêndio, sendo que o número aumenta nos próximos dias.

(Notícia actualizada às 13:01 com mais informação)




A sua opinião13
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 dias

Sim. Um Estado que é uma calamidade. Em 43 anos, entretido a marcar passo, esquerda/direita/direita/esquerda, como de uma parada militar se tratasse ou, Paf/geringonça/Bloco/Udp, etc. etc etc., mas no fundo, em vez de reformas sustentando a Pátria, sustentam 230 "bacanos" no Parlamento, entretidos a formar governos e fazer decretos que entretenham cá a malta. Não tiramos partido da desgraça,não senhor. Olhamos apenas para o triste espectáculo de quem "assaltou" o País, sem jeito para o governar!!!

comentários mais recentes
O negócios dos incêndios,continua uma festa ? Há 4 dias

Calamidade pública é a direita~lha a apoiar os mercenários dos incêndios,e depois armo-se em inocentes,

Isto é o monstro do cavaquismo,a destruir. Há 4 dias

PSD quanto pior melhor para os incendiários dos incêndios,mas o tiro vai-lhe sair pela culatra.

Empresas privadas apagar fogos ? È um negocio sujo Há 4 dias

A direi-talha estar a dar festa dos incêndios,mas o povo sabe que são muito responsáveis ,que estimulam os incendiários,mas vão pagar tudo com língua de palmo.

Anónimo Há 4 dias

Atrasado com sempre, este "governo". O estado de calamidade publica foi declarado em surdina quando o costa esfaqueou o tozé pelas costas e, ao arrepio dos resultados eleitorais mas com a benção do tio jerónimo e prima katy se formou a geringonça que transformou Portugal numa ilha de vacas felizes..

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub