Economia Incêndios: Iniciativa de solidariedade já angariou mais de um milhão de euros

Incêndios: Iniciativa de solidariedade já angariou mais de um milhão de euros

A iniciativa "Juntos por todos", para ajudar as vítimas dos incêndios que deflagraram no centro do pais, ultrapassou o milhão de euros cerca das 23:35, durante o concerto a decorrer no pavilhão Meo Arena, em Lisboa.
A carregar o vídeo ...
Lusa 28 de junho de 2017 às 00:47

Vinte e cinco artistas, e respectivos músicos, disponibilizaram-se para realizar um espectáculo para 14 mil pessoas, que lotaram o pavilhão e cujo sentimento de solidariedade para com as vítimas foi o mote.

 

Após os DJ 'Beatbombers', que abriram a cerimónia, AGIR prosseguiu o desfile de artistas, ao qual se seguiram Amor Electro, Ana Moura, Camané e os D.A.M.A, tendo ficado decidido que a ordem de entrada em palco era alfabética.

 

Mal foi atingido o montante de um milhão de euros, no final da actuação de Miguel Araújo, ouviu-se uma salva de palmas geral, com o público a entoar "Portugal, Portugal!".

 

Durante o concerto, que àquela hora ia em cerca de metade das actuações, podem continuar os donativos através da linha 760200200.

 

A iniciativa, à qual assiste o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o ministro da Cultura, Luís Castro Mendes, conta com o alto comissariado da Fundação Calouste Gulbenkian e está ser transmitido em directo pela RTP, SIC, TVI e por "todas as rádios portuguesas", sendo a receita entregue à União das Misericórdias Portuguesas, segundo a organização.

 

Os incêndios que deflagraram na região Centro, há mais de uma semana, provocaram 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foram dados como extintos no sábado.

 

Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos no combate às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta, o equivalente a cerca de 75 mil campos de futebol.

 

A área destruída por estes incêndios - iniciados em Pedrógão Grande, no distrito de Leira, e em Góis, no distrito de Coimbra - corresponde a praticamente um terço da área ardida em Portugal em 2016, que totalizou 154.944 hectares, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna divulgado pelo Governo em Março.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 28.06.2017

MUITO BEM!
RESTA AGORA SABER COMO A AJUDA VAI CHEGAR Á VÍTIMAS!
POR MIM NÃO CONFIU MUITO NAQUELES PROVEDORES DA SANTA CASA.
TALVEZ SEJA DEFEITO MEU.

comentários mais recentes
Anónimo 28.06.2017

Gostava de saber porque razão o dinheiro foi entregue à UM.Não confio, ainda me lembro há muitos anos, num peditório feito pela Cruz Vermelha as vigarices que aconteceram.As contas deste dinheiro têm que ser públicas.Um aparte: foi vergonhosa a maneira como se comportou SS.Falta de respeito, droga?

Anónimo 28.06.2017

MUITO BEM!
RESTA AGORA SABER COMO A AJUDA VAI CHEGAR Á VÍTIMAS!
POR MIM NÃO CONFIU MUITO NAQUELES PROVEDORES DA SANTA CASA.
TALVEZ SEJA DEFEITO MEU.

Anónimo 28.06.2017

A auto-designada elite deste país na qual se incluem os "best managers of", a esmagadora maioria da classe politica Portuguesa, e os grandes empresários sombra que só após escândalos se conhece o nome, não merecem este povo. E o povo só merece estes iluminados porque lhes permite o arraial em que têm vivido ao longo dos últimos anos.
É mais do que altura da sociedade civil instruir-se, ser mais exigente consigo mesmo, para finalmente não permitir o folclore de quem nos tem representado.

pub