Política Incêndios: Passos acusa Governo de impor "lei da rolha" aos serviços de Protecção Civil

Incêndios: Passos acusa Governo de impor "lei da rolha" aos serviços de Protecção Civil

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou o Governo de impor a "lei da rolha" aos serviços de protecção civil.
Incêndios: Passos acusa Governo de impor "lei da rolha" aos serviços de Protecção Civil
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 19 de julho de 2017 às 00:05

"Esse é o tempo que vivemos hoje, o tempo da demagogia política e é o tempo em que a política primeira, preferida, da maioria e do Governo é a da comunicação. Não vá a comunicação falhar, tivemos hoje notícia, provavelmente a última, de que a lei da rolha se deverá observar em matéria de serviços de protecção civil", criticou Passos Coelho esta noite, no seu discurso no jantar do grupo parlamentar do PSD.

 

A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) anunciou esta terça-feira, 18 de Julho, que vai fazer a partir de quarta-feira dois "briefings" diários, incluindo aos fins de semana, sobre os incêndios no país, um de manhã e outro ao final do dia.

 

"Assim é mais fácil ser bem-sucedido na política de comunicação: é essencial que não haja notícias e depois espera-se que as que são captadas pela realidade não sejam tão más", disse, lamentando que as vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande ainda não tenham visto "um tostão" do apoio solidário dos portugueses.

 

"Vivemos, portanto, um tempo de demagogia, de dissimulação, com grande destaque à preocupação com a política de comunicação", resumiu, dizendo temer que nada mude na próxima metade da legislatura.

 

O líder do PSD acusou ainda o Estado de "continuar a falhar", referindo-se a novos erros de coordenação e falhas no SIRESP nos incêndios de Alijó. "Já começa a ser um bocadinho cansativo no parlamento estar a exigir às pessoas que digam o que estão a fazer em vez de se passearem, como se se tratasse de um cenário, pelos locais da tragédia", criticou.

 

Para os próximos dois anos de Governo PS - que disse acreditar que cumpra a legislatura -, Passos Coelho deixou um desejo: "Que nos poupassem às promessas e fizessem, porque o país não pode viver eternamente daquilo que já se fez no passado e digerir as reversões que já foram feitas. É necessário muito mais para o futuro".




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 dias

Se aqui há uns anos me dissessem que seria pela mão do PS que o lápis azul voltaria, não acreditaria.Neste momento tudo é possível.Até arranjaram uma mulher com jeito para a propaganda.Tem mesmo tiques dos políticos, dá sempre a volta às perguntas.Só lhe falta a boina, porque as estrelas estão lá

Francisco António Há 3 dias

Uma boa notícia ! Centralizando a informação somos poupados com horas e horas de entrevistas a bombeiros, "populares", presidentes das juntas, vizinhos e curiosos. Sobra tempo para os bombeiros fazerem aquilo para que foram treinados: apagar fogos ! Ah ! E deixar o Marta Soares "descansar" !!!!

Eis aqui a prova provada que... Há 3 dias

Que o costa tem tiques de ditador!
Há um agente da propaganda que dá a "verdade oficial" controlando a informação, que poderia não agradar ao governo costa.
Onde é que eu já vi isto?!
Na semana passada o costa disse que ia corrigir o que tinha corrido mal, agora impôs a lei da mordaça.

Anónimo Há 3 dias

O que ele quer é que só fale quem controla.
Mas isto é comunismo. Não sabiam ?
Devia ser considerado doença.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub