Economia Incêndios: Presidente da Câmara de Alijó vai declarar Estado de Emergência Municipal

Incêndios: Presidente da Câmara de Alijó vai declarar Estado de Emergência Municipal

O presidente da Câmara de Alijó, Carlos Magalhães, afirmou estar a preparar-se para declarar Estado de Emergência Municipal, referindo que o incêndio que lavra desde a madrugada de domingo está incontrolado.
Incêndios: Presidente da Câmara de Alijó vai declarar Estado de Emergência Municipal
Reuters
Lusa 17 de julho de 2017 às 18:08
"É um alerta, é um pedido de socorro para todo o país para ver se nos ajudam", afirmou aos jornalistas na localidade de Vila Chã, onde as chamas se aproximaram das casas durante a tarde, assustando a população.

E acrescentou: "Está incontrolado o fogo, não sei o que a noite nos vai trazer porque não vamos ter os meios aéreos e o vento continua e as frentes activas têm-se multiplicado".

O autarca referiu que o Estado de Emergência significa um "pedido à tutela".

"É um pedido de socorro, é um pedido de ajuda porque nós já não somos capazes de dominar isto, os homens que já estão aqui já estão exaustos, precisávamos de mais alguma coisa", sustentou.

O presidente disse que pediu mais meios para o combate a este fogo, referindo que só vê uma solução através dos "meios de combate aéreo".

"Não estou a ver, no terreno, que os homens consigam aceder a estas zonas tão declivosas e com orografia tão pedregosa. Seria um risco para estes homens", salientou.

Homens que já "estão exaustos" depois de muitas horas de combate a um incêndio "que não dá tréguas"

E explicou que praticamente todo o concelho, a norte, a poente e a nascente está todo em chamas, salvaguardando apenas a zona sul que está ocupada por vinhas.

"Num teatro de operações como este há sempre pequenas falhas, mas eu não me quero referir a essas pequenas falhas, quero-me referir às grandes falhas de há muitos anos, como a falha de uma política que defina um planeamento florestal e que não existe", sublinhou.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub