Economia Incêndios: Quatro distritos concentram mais meios. Há registo de 12 feridos ligeiros

Incêndios: Quatro distritos concentram mais meios. Há registo de 12 feridos ligeiros

Os incêndios que lavram nos distritos de Castelo Branco, Portalegre, Santarém e Coimbra são os que concentram mais meios da Protecção Civil, que hoje anunciou a existência de 12 feridos ligeiros devido aos fogos, a maioria por inalação de fumo.
Incêndios: Quatro distritos concentram mais meios. Há registo de 12 feridos ligeiros
Movenoticias
Lusa 26 de julho de 2017 às 22:31

"Destaco o incêndio da Sertã, que se iniciou no domingo, da parte da tarde, e que concentra já um total de 1.257 operacionais, com 356 veículos e dez meios aéreos que estão neste momento a actuar no terreno. Temos ainda um segundo incêndio no distrito de Castelo Branco, de Vale de Coelheiro, que está também muito activo. Estas são duas ocorrências neste momento com muita actividade", explicou adjunta de operações da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) Patrícia Gaspar, pelas 19:15.

 

O fogo que deflagrou na Sertã (distrito de Castelo Branco) alastrou aos concelhos de Proença-a-Nova, no mesmo distrito, e de Mação, no distrito de Santarém. Hoje à tarde, segundo a Câmara de Vila Velha de Ródão, passou também para este concelho.

 

O incêndio que deflagrou no concelho de Castelo Branco no domingo atinge também Vila Velha de Ródão.

 

"Temos também dois incêndios no distrito de Portalegre, um em Nisa e outro em Gavião, ambos também activos e com operações no terreno, e já nesta tarde tivemos um novo incêndio em Coimbra, em Penacova, que está também com um comportamento bastante complexo e para o qual estamos neste momento a accionar todos os meios disponíveis", acrescentou a adjunta nacional da Protecção Civil, durante um briefing em Oeiras (distrito de Lisboa).

 

O balanço contou com a presença do primeiro-ministro, António Costa.

 

Segundo Patrícia Gaspar, ao longo da tarde, o incêndio da Sertã tem vindo "a desenvolver um comportamento perfeitamente eruptivo, com inúmeras reactivações", cenário que tem obrigado a "um permanente reposicionamento dos meios no terreno e a uma constante redefinição da estratégia" de forma a garantir a protecção das populações.

 

Questionada sobre o incêndio que lavra no concelho de Mação, a adjunta da ANPC deu conta de que a situação neste concelho do distrito de Santarém "está neste momento mais tranquila", tendo contribuído para isso o facto de o fogo ter perdido "intensidade" ao aproximar-se do centro, o que permitiu um "combate mais direto às chamas".

 

Patrícia Gaspar anunciou a existência de 12 feridos ligeiros, a maioria por inalação de fumo, alguns dos quais assistidos no local, "mas sem registo de vítimas graves", e confirmou que algumas casas, de segunda habitação, e de arrumos, foram consumidas pelas chamas.

 

A adjunta nacional da Protecção Civil relatou que as chamas chegaram a estar próximas de várias aldeias, o que obrigou à retirada das pessoas, nomeadamente de 40 populares da localidade de Gardete, em Vila Velha de Ródão, distrito Castelo Branco, e outras três pessoas da localidade de Casas da Ribeira, no concelho de Mação, acrescentando que a situação em São José das Matas, no mesmo concelho, "está controlada".

 

Patrícia Gaspar disse ainda que Marrocos disponibilizou um avião Canadair que a partir de quinta-feira estará a operar no combate às chamas, juntando-se assim ao dispositivo nacional.

 

A ANPC registou desde as 00:00 de hoje 88 ocorrências de incêndios florestais, 77 das quais foram "prontamente resolvidas". De acordo com a adjunta da Protecção Civil há ainda 11 incêndios em curso no país.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Os negócios dos incêndios,é mau de mais,basta. Há 3 semanas

Acabem com empresas privadas para apagar fogos,eles montaram no País mercenários para deitar o fogo ao mato,já há anos que é o mesmo filme,deitam o fogo e depois bem o avião com o penico e leva agua para apagar e a seguir bem GNR levantar o auto,para eles cobrarem ao estado,é um negócio sujo.

estouapau Há 3 semanas

INCENDIOS!
ACHO PIADA AQUELA ESPÉCIE DE MEIO AÉREO QUE DESPEJA UM BALDE ÁGUA QUE NEM CHEGA AO SOLO (JÁ VI EM ACTUAÇÃO REAL), DEVE SER APENAS PARA O ESPECTÁCULO

pub
pub
pub
pub