Segurança Social Incêndios: só 18% dos fundos foram para prevenção

Incêndios: só 18% dos fundos foram para prevenção

A maior parte das verbas do programa destinado à redução dos incêndios florestais foi para obras e veículos de bombeiros, em detrimento da prevenção, que tem sido defendida como aposta pelo Governo.
Incêndios: só 18% dos fundos foram para prevenção
Movenoticias
Negócios 25 de agosto de 2017 às 09:15

Apenas 18% dos 58 milhões de euros do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no uso de Recursos, dirigido à redução de fogos florestais, foi utilizada na prevenção. A maior fatia foi destinada à compra de veículos para as corporações de bombeiros ou para a construção, modernização ou ampliação de quartéis.

As contas são apresentadas esta sexta-feira, 25 de Agosto, pelo jornal Público, que nota que a execução não segue o discurso do Governo, assente na necessidade de se reforçar a prioridade da prevenção em detrimento da aposta nos meios de combate.

De um total de 56 milhões de euros, 40 milhões foram para equipamentos de bombeiros e 10,2 milhões foram destinados à "instalação de redes de defesa da floresta contra incêndios", que contemplam a abertura de vias de circulação, a limpeza das áreas (matos) ou acessos a pontos de água.

Os restantes cinco milhões foram aplicados em "acções inovadoras" para a prevenção e gestão de riscos, em "instrumentos de planeamento, monotorização e comunicação" e em "acções de comunicação e sensibilização para prevenção de incêndios florestais".

Ao jornal, o ministério da Agricultura reconhece que as verbas para a prevenção se ficaram nos 10,2 milhões, mas sustenta que a este valor se devem somar os "apoios distribuídos através de outros instrumentos". Entre os vários exemplos elecados encontram-se 46 milhões de euros do Programa de Desenvolvimento Rural.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

A raiz dos incendio vem da florestação subsidiada sem corredores .99% são de origem criminosa ,onde está o policiamento?O dito gasóleo verde está a desaparfecer.qem ordenou floresta continua ?A responsabilidade d q s ta a passar é politica.N venham com mais impostos ou expropriações ordenem floresta

Mr.Tuga Há 3 semanas

Oxalá ARDA TUDO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

O tuga SEBENTO e MAL FORMADO não merece floresta ou ambiente!
O tuga TROGLODITA deveria ser eliminado da face da terra!

Anónimo Há 3 semanas

Esta calamidade tem solução e passa por prevenção a sério. Primeiro há que terminar com este minifúndio abandonado. Há que associar os proprietários por concelho ou freguesia e fazer um adequado ordenamento. Quem não quiser que cumpra a lei e que pague IMI bem mais caro!

General Ciresp Há 3 semanas

O pais so vai ter sucesso nos incendios quando os PORTUGUESES deixarem de ver os telejornais.Eu ainda gostava de saber qual e o prazer q da em estar sempre a bater na mesma tecla.Por vezes perdem-se coisas interessante dadas a mistura q pessoas como eu deixaram de ver.BOICOTE-SE essa CHACHINA.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub