Conjuntura Indicador avançado da OCDE para Portugal recuou em Março pelo sétimo mês

Indicador avançado da OCDE para Portugal recuou em Março pelo sétimo mês

O indicador que tenta antecipar pontos de viragem nos ciclos económicos voltou a recuar em Março, sinalizando a probabilidade de a economia portuguesa registar um abrandamento no prazo de seis a nove meses.
Indicador avançado da OCDE para Portugal recuou em Março pelo sétimo mês
Eva Gaspar 10 de maio de 2017 às 14:50

O Indicador Compósito Avançado da OCDE para Portugal caiu em Março pelo sétimo mês consecutivo.

 

Não obstante a trajectória do indicador ter sido revistp em alta nesta quarta-feira, 10 de Maio, este permanece abaixo do valor de referência (100) e acumula, em Março, o sétimo recuo mensal e o segundo em termos homólogos, tendo em Março descido 0,03% face a Fevereiro e 0,17% por comparação com Março do ano passado, fixando-se em 99,91 pontos.

 

O Indicador Compósito Avançado da OCDE é actualizado todos os meses, tendo sido concebido para detectar precocemente sinais de pontos de viragem nos ciclos económicos, dando os seus valores informação apenas qualitativa. Quando ele desce mas ainda está acima de 100, a OCDE considera estar-se perante um provável cenário de desaceleração; quando este desacelera e já está abaixo de 100, pela frente poderá estar uma contracção do PIB.


Para o conjunto dos países do OCDE e da Zona Euro, o indicador avançado registou em Março variações positivas, ainda que marginais, mantendo, em ambos os casos, uma leitura acima de 100.

A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Temos de entender que há muito português corrupto, maldoso e pouco sério, pessoas daninhas que vivem de toda a porcaria que levou a República à bancarrota. Essa gente não quer ouvir falar em reformas quer elas sejam sugeridas pelo FMI, pela UE ou pela OCDE. Para eles o pré-troika é que é bom. Ladroagem pura. Não sabem outra coisa na vida.

comentários mais recentes
lol Há 2 semanas

Outra comissão de finanças públicas tipo a velha podre.

Ehehehehe... Há 2 semanas

O Sr jornalista procura um pintelho que, segundo as suas conclusões pode ser uma montanha no percurso do nosso excelente governo. Percebo agora pelos comentários, porque é que há empresas que preferem contratar emigrantes que são menos derrotistas que os portugueses! Caros anónimos ide vos tratar!

Vim só confirmar Há 2 semanas

Que já anda aqui gentinha contente com esta noticia. Este povo que ama a miseria, eu amo o luxo e não abdico, mas tem sempre que haver os otários. Querem miseria é dar-lhes miseria. ahahahahaahahahah

bcarlos Há 2 semanas

Não... a OCDE está enganada. O Costa diz que está tudo a bombar!...

ver mais comentários
pub
pub
pub
}
pub