Saúde Indústria farmacêutica não comenta mudança do Infarmed para o Porto

Indústria farmacêutica não comenta mudança do Infarmed para o Porto

O anúncio da mudança da sede da Agência Nacional do Medicamento e dos Produtos de Saúde (Infarmed) apanhou toda a gente de surpresa e nem mesmo as associações que representam as indústrias reguladas por esta instituição querem comentar a decisão.
Indústria farmacêutica não comenta mudança do Infarmed para o Porto
João Santos/Correio da Manhã
Bruno Simões 23 de novembro de 2017 às 16:36

A mudança da sede da Agência Nacional do Medicamento e dos Produtos de Saúde (Infarmed) para o Porto foi anunciada pelo ministro da Saúde na passada terça-feira. E se a mudança já gerou reacções enérgicas por parte dos trabalhadores da instituição e também dos partidos políticos, as principais indústrias reguladas pelo Infarmed preferem não dizer nada por agora, aguardando para perceber os contornos da mudança.

 

Além das dificuldades que a transferência da sede da Apifarma poderá colocar aos seus trabalhadores, têm sido abordado o facto de quase todas as farmacêuticas estarem em Lisboa. O presidente da Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma), João Almeida Lopes, recusou terminantemente pronunciar-se sobre a decisão. "Não vou fazer qualquer comentário. Isso é uma decisão do Governo", disse ao Negócios, à entrada para uma conferência em Lisboa sobre o financiamento da Saúde.

 

Também o secretário-geral da Associação Portuguesa de Dispositivos Médicos (Apormed), disse ao Negócios não querer tecer comentários, uma vez que a associação que representa o sector ainda não tomou uma posição sobre esta mudança.

 

O Negócios pediu também uma reacção ao Health Cluster Portugal, que reúne alguns dos principais representantes dos cuidados de saúde privados. Esta plataforma é liderada por Salvador de Mello, líder da José de Mello Saúde, e tem Luís Portela, chairman da Bial, como presidente da Mesa da Assembleia-Geral. Nenhum dos dois quis comentar esta decisão, por considerarem prematuro fazê-lo numa altura em que "existem contornos por clarificar".

 

O Infarmed tem atribuições na área da avaliação e autorização da venda de medicamentos de uso humano (incluindo os que são feitos à base de plantas e homeopáticos) e é também responsável pelos produtos de saúde, em que se incluem os dispositivos médicos, produtos cosméticos e de higiene corporal.

 

O ministro da Saúde anunciou que a mudança do Infarmed para o Porto se iria concretizar a partir de 1 de Janeiro de 2019 e estimou que "dentro de dois ou três anos", isto é, até 2020, 70% da instituição já esteja a funcionar na Invicta. Em Lisboa continuará a funcionar um pólo do Infarmed.




pub