Saúde Indústria farmacêutica não comenta mudança do Infarmed para o Porto

Indústria farmacêutica não comenta mudança do Infarmed para o Porto

O anúncio da mudança da sede da Agência Nacional do Medicamento e dos Produtos de Saúde (Infarmed) apanhou toda a gente de surpresa e nem mesmo as associações que representam as indústrias reguladas por esta instituição querem comentar a decisão.
Indústria farmacêutica não comenta mudança do Infarmed para o Porto
João Santos/Correio da Manhã
Bruno Simões 23 de novembro de 2017 às 16:36

A mudança da sede da Agência Nacional do Medicamento e dos Produtos de Saúde (Infarmed) para o Porto foi anunciada pelo ministro da Saúde na passada terça-feira. E se a mudança já gerou reacções enérgicas por parte dos trabalhadores da instituição e também dos partidos políticos, as principais indústrias reguladas pelo Infarmed preferem não dizer nada por agora, aguardando para perceber os contornos da mudança.

 

Além das dificuldades que a transferência da sede da Apifarma poderá colocar aos seus trabalhadores, têm sido abordado o facto de quase todas as farmacêuticas estarem em Lisboa. O presidente da Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma), João Almeida Lopes, recusou terminantemente pronunciar-se sobre a decisão. "Não vou fazer qualquer comentário. Isso é uma decisão do Governo", disse ao Negócios, à entrada para uma conferência em Lisboa sobre o financiamento da Saúde.

 

Também o secretário-geral da Associação Portuguesa de Dispositivos Médicos (Apormed), disse ao Negócios não querer tecer comentários, uma vez que a associação que representa o sector ainda não tomou uma posição sobre esta mudança.

 

O Negócios pediu também uma reacção ao Health Cluster Portugal, que reúne alguns dos principais representantes dos cuidados de saúde privados. Esta plataforma é liderada por Salvador de Mello, líder da José de Mello Saúde, e tem Luís Portela, chairman da Bial, como presidente da Mesa da Assembleia-Geral. Nenhum dos dois quis comentar esta decisão, por considerarem prematuro fazê-lo numa altura em que "existem contornos por clarificar".

 

O Infarmed tem atribuições na área da avaliação e autorização da venda de medicamentos de uso humano (incluindo os que são feitos à base de plantas e homeopáticos) e é também responsável pelos produtos de saúde, em que se incluem os dispositivos médicos, produtos cosméticos e de higiene corporal.

 

O ministro da Saúde anunciou que a mudança do Infarmed para o Porto se iria concretizar a partir de 1 de Janeiro de 2019 e estimou que "dentro de dois ou três anos", isto é, até 2020, 70% da instituição já esteja a funcionar na Invicta. Em Lisboa continuará a funcionar um pólo do Infarmed.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Rui Há 3 semanas

Porque não escrevem Porto com letra grande???? seus ressabiados. Onde estavam vocês quando ao longo destes anos todos centenas de trabalhadores de diferentes organismos sedeados no Porto tiveram que se mudar para Lisboa???

pertinaz Há 3 semanas

PUDERA... NINGUÉM SE QUER COMPROMETER COM AS IMBECILIDADES DO DESGOVERNO

COSTA "COMPROU" GUERRA DENTRO DO PRÓPRIO PS Há 3 semanas

Além da borrada de todo o tamanho que fez, ao transferira INFARMED de LISBOA para o porto, ANTÓNIO COSTA "comprou" uma guerra dentro do próprio PS, visto que alguns socialistas condenam a posição de subalternidade que o PS, pela mão de COSTA, está a assumir, no porto, face ao bimbo RUI MOREIRA.

SÓ ILEGALMENTE COSTA PODERÁ DESCALÇR A BOTA Há 3 semanas

ANTÓNIO COSTA só tem feito meerda.
Agora, através do seu ministro da Saúde, resolveu engraxar o ego do imbecil bimbo RUI MOREIRA, através da transferência de LISBOA para o porto da INFARMED.

Só que se meteu num beco sem saída, visto que, pela LEI, os funcionários só podem ser afastados 60 kms.

ver mais comentários
pub