Saúde Infarmed: PCP quer vontade e direitos dos trabalhadores "integralmente" assegurados

Infarmed: PCP quer vontade e direitos dos trabalhadores "integralmente" assegurados

Em comunicado, os comunistas criticam a decisão do Governo de deslocar o Infarmed de Lisboa para o Porto. O PCP rejeita que esta decisão faça parte de um processo de descentralização.
Infarmed: PCP quer vontade e direitos dos trabalhadores "integralmente" assegurados
Pedro Elias
Marta Moitinho Oliveira 23 de novembro de 2017 às 16:53
O PCP defendeu esta quinta-feira que "é fundamental assegurar integralmente a vontade e os direitos de todos os trabalhadores do Infarmed", revela o partido num comunicado enviado às redacções.

O partido liderado por Jerónimo de Sousa mostra dúvidas em relação à opção do Governo de transferir o Infarmed de Lisboa para o Porto. E decidiu enviar uma pergunta ao Governo para "clarificar" os fundamentos da decisão tomada. 

"Não estando em causa a escolha de diferentes cidades para a localização de entidades e organismos públicos, esta medida não representa, por si só, um processo de descentralização", lê-se no comunicado.

Os comunistas defendem uma descentralização, mas consideram que devia ser feita de outra forma. "A necessária descentralização do país não se faz com medidas avulsas, faz-se com uma inversão de políticas que garanta o necessário apoio e promoção da produção nacional, com a reabertura de serviços públicos encerrados, com a reposição de freguesias, com a concretização da regionalização." 

"Aproveitar as potencialidades do Porto faz-se garantindo o investimento público necessário, revogando as portagens
nas ex-SCUT, promovendo o emprego de qualidade", avança o partido.

No mesmo comunicado, o PCP destaca ainda as preocupações com os trabalhadores. "Decisões intempestivas de deslocalização de organismos não podem ser feitas sem atender à sua operacionalidade e funcionamento, bem como a quem neles trabalha. O PCP considera que é fundamental assegurar integralmente a vontade e os direitos de todos os trabalhadores do Infarmed."

O Governo decidiu transferir o Infarmed de Lisboa para o Porto em 2019, uma deslocalização que foi rejeitada pela maioria dos trabalhadores.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
A GUERRA SUJA PCP / BE Há 2 semanas

Ridícula e lamentável !
Esta competição hipócrita entre PCP e BE, para ver qual dos dois colhe mais dividendos e se mostra mais defensor dos trabalhadores da INFARMED, os quais dispensam essas "ajudas" inquinadas, visto que sabem bem cuidar dos seus próprios interesses.

Camaradaverao75 Há 2 semanas

Tanta luta dos trabalhadores contra a deslocalização de empresas e agora o PS, parceiro do meu camarada, vai deslocalizar o INFARMED!!

eduardo santos Há 2 semanas

INFARMEDE - Meus senhores, muitas promessas vãs os políticos, no activo, fizeram que convenceram muitos dos menos avisados.Entretanto muitos cálculos se fizeram, e agora para sangrar as finanças publicas e meter no bolso, não sei de quem, uns milhões é preciso ocupar algo já contratado.

Saber mais e Alertas
pub