União Europeia Inflação em Portugal abaixo da média da Zona Euro pelo terceiro mês  

Inflação em Portugal abaixo da média da Zona Euro pelo terceiro mês  

O Eurostat confirmou que a taxa de inflação na Zona Euro acelerou em Agosto para o nível mais elevado desde Abril.
Inflação em Portugal abaixo da média da Zona Euro pelo terceiro mês  
Bloomberg

O índice de preços no consumidor na Zona Euro aumentou 1,5% em Agosto, face ao mesmo mês do ano passado, anunciou esta segunda-feira, 18 de Setembro, o Eurostat, confirmando a estimativa preliminar revelada a 31 de Agosto

 

Em Portugal, tal como o INE já tinha anunciado, os preços cresceram 1,3% em termos homólogos, pelo que Agosto foi já o terceiro mês consecutivo em que a inflação nacional se situa abaixo da média da Zona Euro.

 

Maio de 2017 foi o último mês em que a inflação em Portugal (1,7%), se situou acima do registado na Zona Euro (1,4%).

 

A taxa de inflação registada em Portugal em Agosto situa-se ainda assim bem acima dos mínimos da Zona Euro, que foram registados pela Irlanda (0,4%), Chipre (0,5%), Grécia e Roménia (ambos em 0,6%). E também afastado dos máximos, registados na Lituânia (4,6%), Estónia (4,2%) e Letónia (3,2%).

 

Quanto à Zona Euro, a taxa de inflação em Agosto representa uma aceleração face aos 1,3% registados em Junho e Julho, atingindo o nível mais elevados desde Abril deste ano.

 

A contribuir para esta tendência voltam a estar os preços da energia, que lideram na valorização anual entre as categorias que formam o índice: subiram 4%, também no valor mais elevado desde Abril e comparados com 2,2% um mês antes.

Excluindo a energia, a inflação manteve-se em 1,2%, o mesmo ritmo de crescimento registado em Junho e Julho.

"À primeira vista, a subida da inflação 'core' [excluindo a componente energia] na Primavera parece sugerir que a tendência de subida dos preços reforçou-se visivelmente. Contudo, a taxa mais elevada deveu-se sobretudo ao aumento dos preços de pacotes de férias e alojamento," lê-se numa nota do Commerzbank distribuída aos clientes quando o Eurostat revelou a estimativa preliminar.

No âmbito do seu mandato para a estabilidade dos preços, o Banco Central Europeu mantém como objectivo alcançar uma inflação próxima, mas abaixo, dos 2%.

A autoridade monetária tem em curso um programa de compra de activos (entre os quais títulos de dívida soberana dos países do euro) destinado a reanimar a economia europeia, programa que, desde Abril deste ano, viu a sua meta média de aquisições mensal passar de 80 para 60 mil milhões de euros. Na ultima reunião, a instituição liderada por Mario Draghi anunciou que vai dar início, em Outubro, à discussão sobre qual será a política de retirada de estímulos.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira Há 2 dias

França tem os combustiveis ao mesmo preço que cá, já Espanha é menos 10 centimos. Não fosse os preços inflacionados de energia e combustiveis, estariamos há muitos anos em deflação.preços das casas, transportes de mercadorias, etc cairam e de que maneira...

pub