Conjuntura Inflação quase duplica em Dezembro na Zona Euro

Inflação quase duplica em Dezembro na Zona Euro

A inflação subiu para 1,1%, em Dezembro, na Zona Euro, o que compara com os 0,6% registados no mês anterior.
Inflação quase duplica em Dezembro na Zona Euro
Miguel Baltazar/Negócios
Rita Faria 04 de janeiro de 2017 às 10:09

A taxa de inflação na Zona Euro subiu para 1,1%, em Dezembro, revelou esta quarta-feira, 4 de Janeiro, o Eurostat. Este valor, que representa o crescimento mais rápido dos preços desde 2013, compara com a inflação de 0,6% registada em Novembro.

O crescimento dos preços na região da moeda única superou o consenso do mercado, que apontava para uma subida da inflação para 1%.

Segundo os dados do gabinete estatístico da União Europeia, o aumento de 2,5% dos preços da energia foi o principal responsável pela subida da inflação. A chamada inflação "core", que exclui itens voláteis como a energia e os alimentos, aumentou para 0,9%.

No sector dos serviços, a inflação aumentou para 1,2% (1,1% em Novembro) e no da alimentação, álcool e tabaco os preços também subiram 1,2%, em Dezembro, face ao mesmo mês do ano anterior (0,7% em Novembro).

 

Já nos bens industriais não energéticos, os preços cresceram 0,3%, uma evolução estável na comparação com Novembro.

Estes dados são conhecidos depois de ter sido revelado, ontem, que a inflação na Alemanha cresceu para 1,7% em Dezembro, muito acima das estimativas. Também em Espanha, os preços subiram 1,4% no final de 2016. Os números relativos ao crescimento dos preços na maior economia do euro levaram os juros da dívida a disparar na generalidade dos países, devido aos receios de que o BCE possa começar a considerar uma mudança na sua política monetária expansionista, na medida em que a inflação se está a aproximar da meta do banco central de 2%.

Em Dezembro, Mario Draghi – que decidiu prolongar o programa de compra de activos – disse que o crescimento dos preços na região da moeda única continua fraco. Já Benoit Coeure, membro da autoridade monetária, afirmou, na semana passada, que a inflação pode enfrentar riscos de subida. 


(Notícia actualizada às 10:41)




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado ChinesShangai Há 3 semanas

Buraco tens tu nas esteamidades da testa, com Rocha cedimentar a ganhar volume e pontiaguda, malandro paga ao patrão o que lhe deves.

comentários mais recentes
Marco Valle Santos Há 3 semanas

E aí vem o diabo :(

Anónimo Há 3 semanas


OS CÃES RAIVOSOS DA FP_CGA

Os cães raivosos da FP_CGA abocanharam tudo e mais alguma coisa nos últimos 40 anos.

Sempre à custa dos trabalhadores e pensionistas do privado, que sustentam a FP e seus pensionistas a pão de ló.


Anónimo Há 3 semanas


A MALTA DA ESQUERDA É COMPOSTA POR DOIS GRUPOS:

1 - Os LADRÕES (Inclui os FP e CGA): que andam a encher os bolsos à custa dos portugueses;

2 - Os BURROS: que ajudam os anteriores a roubar o povo, em nome da ideologia.

surpreso Há 3 semanas

Boas notícias,mas a taxa básica continua nos 0,25 porcento.Roubam a quem poupou

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub