Economia Inspectores do SEF entregam pré-aviso de greve para 24 e 25 de Agosto

Inspectores do SEF entregam pré-aviso de greve para 24 e 25 de Agosto

Os inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras entregaram esta sexta-feira um pré-aviso de greve para os dias 24 e 25 de Agosto em protesto contra a ausência de respostas do Governo às dificuldades do sector.
Inspectores do SEF entregam pré-aviso de greve para 24 e 25 de Agosto
Correio da Manhã
Lusa 04 de agosto de 2017 às 11:03
Em comunicado, o Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF (SCIF/SEF) anunciou a entrega de um pré-aviso de greve em todos os locais de trabalho, entre as 00:00 do dia 24 de Agosto e as 24:00 do dia 25.

Na origem da greve está, segundo explica o sindicato, a "ausência de respostas concretas por parte da ministra da Administração Interna face às dificuldades públicas que afectam o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, nomeadamente em relação à admissão de recursos humanos e capacitação operacional do SEF".

O sindicato que representa os inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras já tinha ameaçado a 25 de Julho realizar uma greve caso a ministra da Administração Interna não respondesse, até ao final do mês do Julho, às principais reivindicações destes profissionais.

Os inspectores do SEF exigem o início das negociações da lei orgânica e estatuto profissional, abertura de concurso externo de admissão de novos funcionários e avaliação dos elementos da carreira de investigação e fiscalização do SEF para que sejam concretizadas as promoções e progressões com previsão no próximo Orçamento do Estado, além da finalização do regime de piquete e prevenção e ausência de investimento em meios materiais considerados imprescindíveis.

Na nota, o sindicato defende a abertura "imediata de concurso externo de Admissão à Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF de 200 novos inspectores, dando sequência ao pedido que está pendente de decisão no Ministério das Finanças".

Os inspectores querem também a "publicação imediata do Regime de Piquete e Prevenção da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF, negociado há um ano e meio e que continua parado no Ministério das Finanças.

"A renovação imediata dos meios informáticos da Direção Central de Investigação, do Gabinete Técnico de Fronteiras e das Direções Regionais, com vista a acelerar os procedimentos de controlo das fronteiras sem diminuição do rigor, a tornar a emissão de vistos para residência e investimento mais rápida", é outra das reivindicações.

O sindicato quer também "públicas garantias da criação de uma Direção Central para as Fronteiras e do reforço e ampliação dos meios e das competência da Direção Central de Investigação já existente, única forma de o SEF poder continuar a garantir a segurança de Portugal e dos países da União Europeia de que Portugal é fronteira externa".

O sindicato acusa também no comunicado a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, de "se furtar a um diálogo consequente e construtivo em matérias fundamentais para o funcionamento do SEF".

No comunicado, o sindicato ainda que nos locais para onde se encontram escalados serviços mínimos, a segurança que é da responsabilidade do pessoal da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras será acautelada por essa via.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Luis 04.08.2017

Sim, espero que preste um serviço a Portugal, junte-as e terá pessoal para tudo.

Tereza economista 04.08.2017

Tenha coragem srª Ministra e estruture as forças e serviços de segurança, juntando GNR, PSP, SEF, O pais ganhava milhões e reforçava a segurança, crie um corpo nacional de policia como a Espanha.

Saber mais e Alertas
pub