Conjuntura Investimento em infraestruturas deve ser "bombardeamento de precisão"
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Investimento em infraestruturas deve ser "bombardeamento de precisão"

Numa altura em que o investimento em infraestrutura está a regressar a Portugal, importa saber que apostas mais compensam. Ferrovia, portos, escolas e hospitais parecem destacar-se, mas fica o aviso: nenhum deles ajuda as exportações.
Investimento em infraestruturas deve ser "bombardeamento de precisão"
Miguel Baltazar/Negócios

Bombardeamento de precisão, em vez de bombardeamento a eito. Deve ser essa a estratégia de investimento em infraestruturas em Portugal no futuro, com especial atenção à ferrovia, portos, saúde e educaçã)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Pierre Ghost 14.07.2017

...e engraçado...estas noticias os vermes xuxas nao comentam!!!!
....pois...nao têm argumentos....

Anónimo 14.07.2017

Em 2016-2017 o investimento público em Portugal atingiu um mínimo desde 1960. O investimento público não chegou aos 2% do PIB e Portugal foi o quarto Estado-Membro da UE com menos investimento público. O governo que continue a pagar excedentarismo e a subsidiar sobrepagamento de muitos dos seus colaboradores assalariados.

Anónimo 14.07.2017

Foi lamentável o que aconteceu em Pedrógão Grande e em Tancos por causa do investimento público ter sido cortado pelo governo socialista para o nível mais reduzido desde 1960 para equilibrar contas públicas pressionadas pela patologicamente extensa e criminosamente hiperinflacionada folha salarial e de pensões do Estado.

Pierre Ghost 14.07.2017

Este tipo de investimento (construçao) so interessa aos xuxas corruptos!!!! E exactamente a mesma soluçao do 44....
Uma vez mais demonstram que nao teem soluçoes economicas para o Pais!!!
Vermes

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub