Angola Isabel dos Santos regressa à vida empresarial com a Luandina

Isabel dos Santos regressa à vida empresarial com a Luandina

Isabel lançou esta sexta-feira uma nova marca de cerveja, a Luandina, que é produzida pela Sodiba, uma empresa onde tem como sócio o seu marido, Sindika Dokolo.
Isabel dos Santos regressa à vida empresarial com a Luandina
Paulo Duarte
Lusa 17 de novembro de 2017 às 14:48
A empresária angolana Isabel dos Santos voltou hoje à vida empresarial, um dia depois de deixar a petrolífera Sonangol, e lançou em Luanda uma nova marca nacional de cerveja, recordando que em 20 anos já criou 40.000 empregos.

A empresária, que cessou funções na quinta-feira como presidente do conselho de administração da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola, marcou presença na inauguração da fábrica do grupo que detém em conjunto com o marido, nos arredores da capital angolana, e apresentou hoje a nova cerveja "Luandina".

"Durante os últimos 20 anos da minha carreira, eu tenho trabalhado bastante, tenho empreendido bastante, tenho criado vários empreendimentos, várias empresas e acredito que até hoje tenho criado mais de 40.000 empregos. Todos os anos, através das atividades que faço, eu crio em média 1.000 empregos por ano, no mínimo", recordou, em declarações aos jornalistas, à margem do evento.

Isabel dos Santos, exonerada da Sonangol pelo novo chefe de Estado angolano, João Lourenço, não faltou ao lançamento da marca de cerveja, na companhia do marido e sócio da Sodiba, o empresário Sindika Dokolo, poucas depois de, ao despedir-se dos colaboradores da petrolífera ter apontado a "memória curta", ao recordar a situação em que encontrou a empresa em junho de 2016.

"A minha missão na Sonangol foi uma missão muito específica. Como sabem, quando eu entrei, em 2016, a empresa estava num estado de pré falência. A situação era muito, muito crítica, praticamente não havia dinheiro para pagar salários, para pagar fornecedores", disse hoje Isabel dos Santos, questionada pela Lusa.

Garantiu, também hoje que sai da petrolífera estatal de consciência tranquila e que "se houver outro" desafio do género, "possivelmente" não diria que não.

"A minha missão era realmente reequilibrar as contas da empresa. Acredito que a minha missão está cumprida, hoje ela já tem as contas mais equilibradas e inclusive já pode pensar no seu futuro desenvolvimento e em novos projetos de investimento", afirmou Isabel dos Santos, filha do ex-Presidente angolano, José Eduardo dos Santos.

Agora de regresso em pleno à vida empresarial, garante que não vai mudar de postura, nos investimentos, e já tem projetos para 2018.

"Este meu dinamismo eu pretendo continuar. Pretendo continuar a ser um ator económico na nossa economia, pretendo também trabalhar com jovens que tenham iniciativas, que queiram eles empreender. No próximo ano gostaria de lançar um programa de ser mentor para jovens que queiram ser empreendedores", disse ainda.

A nova cerveja do grupo Sociedade de Distribuição de Bebidas de Angola (SODIBA), instalada na comuna do Bom Jesus, no município de Icolo e Bengo, arredores de Luanda, representou um investimento de 100 milhões de dólares (85 milhões de euros).

Sobre a nova cerveja, de produção nacional e que a Sodiba vai acumular com a produção que já faz há quase um ano, em Luanda, da cerveja Sagres, Isabel dos Santos afirmou tratar-se da concretização de um "sonho" iniciado em 2003.

"Foi muito difícil, foi um caminho longo, duro. Tivemos que convencer vários parceiros, tivemos que convencer a banca, principalmente a banca comercial, a acreditar no nosso sonho, em acreditar que era possível lançar uma marca 100 por cento angolana, quando havia tanta importação, tanto produto importado, e que havia ainda espaço para uma nova indústria em Angola. Mas aqui está", concluiu.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Z27 Há 2 semanas

NUNCA, a "Isabelinha" falou tanto em tão pouco tempo... nota-se "à vista desarmada", que está muito preocupada em justificar... o injustificável!?!?

Uau fantástico! Há 3 semanas

A cada 1000 empregos que cria rouba 1000 milhões de dólares!!

pub