Conjuntura ISEG volta a rever em alta o crescimento da economia portuguesa em 2017

ISEG volta a rever em alta o crescimento da economia portuguesa em 2017

O ISEG reviu novamente em alta o crescimento da economia nacional para este ano. Instituição estima que o PIB avance entre 2,6% e 3% em 2017. O Conselho de Finanças Públicas antecipou ontem que a economia acelere 2,7% em 2017.
ISEG volta a rever em alta o crescimento da economia portuguesa em 2017
Ana Laranjeiro 29 de setembro de 2017 às 13:13

O Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) voltou a rever as estimativas que tem para a economia nacional. A instituição estima que o produto interno bruto (PIB) português avance entre 2,6% e 3% este ano. Este intervalo está acima das previsões tanto do Governo, como do Banco de Portugal e do Fundo Monetário Internacional (FMI). E está em linha com os números do Conselho de Finanças Públicas e com o banco de investimento Natixis.

O ISEG explica, em comunicado enviado às redacções, que "o indicador de tendência da actividade global (IZ), uma média ponderada da informação contida nos indicadores analisados nos pontos anteriores, cresceu fortemente na segunda metade de 2016 e no primeiro trimestre de 2017 e, desde então, surge mais estável com ligeiras oscilações".

Para já, a instituição não consegue ser "conclusiva em relação à evolução da economia no terceiro trimestre" dado que ainda não existe muitos dados disponíveis. Mas para o ano de 2017, "atendendo ao desempenho do primeiro semestre, à evolução dos principais agregados da procura no passado recente, ao andamento dos indicadores e às previsões mais positivas para o crescimento da Área Euro em 2017, o crescimento do PIB é revisto para um intervalo entre 2,6% e 3,0%".

Em dois dias é a segunda revisão que é feita por organismos nacionais à evolução da economia nacional. Esta quinta-feira, 28 de Setembro, o Conselho de Finanças Públicas revelou que prevê que a economia nacional cresça 2,7% este ano e de 2,1% no próximo. O organismo liderado por Teodora Cardoso antecipa também que Portugal fechará 2017 com um défice de 1,4% do PIB este ano, o qual deverá baixar para 1,3% em 2018.

Ligeiramente menos optimista para a economia nacional mostrou-se o banco de investimento Natixis. O analista Jesus Castillo, analista do banco, numa nota de análise a que o Negócios teve acesso, antecipa que a expansão da economia nacional seja 2,5% em 2017 e 2% em 2018.

O analista revela que as previsões "estão amplamente baseadas em duas componentes principais: exportações e investimento. No que respeita às exportações de bens e serviços, é esperada uma aceleração mais pronunciada em 2017", sendo que, "no longo prazo, prevê-se que as exportações se tornam o principal catalisador do crescimento em Portugal".

Estas três estimativas são mais optimistas que as apresentadas pelo Governo português. No Programa de Estabilidade 2017-2021, o Executivo estimou que a economia crescesse 1,8% este ano.

O Banco de Portugal, em Junho, reviu em alta as suas projecções e prevê uma expansão económica de 2,5% nos 12 meses de 2017. O FMI estima igualmente um crescimento económico de 2,5% para este ano.




pub