IRS Já entregou o IRS? O prazo termina hoje e amanhã já há multa
IRS

Já entregou o IRS? O prazo termina hoje e amanhã já há multa

Até ao dia de ontem foram submetidas 4,8 milhões de declarações referentes à campanha de 2016 do IRS, cujo prazo de entrega termina esta quarta-feira, 31 de Maio, para todas as categorias de rendimentos. Multas podem ir até aos 3.750 euros.
Já entregou o IRS? O prazo termina hoje e amanhã já há multa
Cátia Barbosa/Negócios
Filomena Lança 31 de maio de 2017 às 10:04

Segundo o Portal das Finanças, até às 00:55 do dia 30 de Maio, tinham sido entregues 4.897.493 declarações de IRS. Os números são citados pela agência Lusa, que os compara com o total de declarações submetidas no ano passado, de 5.397.730. Para os contribuintes que ainda não cumpriram a obrigação de declarar ao fisco os rendimentos obtidos em 2016, resta o dia de hoje, já que o prazo termina precisamente a 31 de Maio.

 

A partir de 2017 passou a haver um único prazo de entrega, igual para todas as categorias de rendimentos e que decorreu de 1 de Abril até 31 de Maio. Deixar passar o prazo significa pagar uma coima, que o sistema informático do Fisco aplica de forma automática, sem apelo nem agravo.

 

A coima, prevista no Regime Geral das Infracções Tributárias, varia entre 150 e 3.750 euros. O valor mais elevado está reservado a situações de maior gravidade, sendo os 150 euros a coima geralmente aplicável.

 

Este ano a campanha do IRS veio com várias novidades, nomeadamente a possibilidade de entrega de uma declaração automática, toda preenchida pelo Fisco, mas que apenas está disponível para contribuintes com rendimentos do trabalho dependente ou pensões sem filhos a cargo, benefícios fiscais ou rendimentos do estrangeiro. Nas declarações automáticas basta ao contribuinte validar os valores previamente inseridos e submeter a declaração.

 

Nos restantes casos, também uma boa parte dos valores se apresentam já preenchidos, nomeadamente os das deduções à colecta, que o Fisco insere a partir dos dados do e-factura.

 

O Governo anunciou desde o início que os prazos de reembolso seriam mais curtos e, no caso das declarações automáticas, poderiam ser de apenas duas semanas.

A 4 de Maio, o Ministério das Finanças fez um balanço intercalar da campanha de IRS deste ano e revelou que até dia 2 de Maio já tinham sido reembolsados quase 500 milhões de euros a perto de 600 mil contribuintes portugueses. Um número 15 vezes superior ao valor observado em igual período de 2016, altura em que apenas 38,5 mil portugueses tinham recebido o seu reembolso.

 

Ainda assim, o Governo admitia que os três milhões de declarações entregues até então estavam aquém de anos anteriores, devido às alterações de prazos, ou seja, a existência de um período único de entrega.

 

Posteriormente, já a 15 de Maio, Mário Centeno disse no Parlamento que já tinham sido reembolsados 1.200 milhões de euros no âmbito da campanha de IRS deste ano, um valor que disse corresponder a "mais do dobro do que no ano passado".




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado 1230cf 31.05.2017

Estou com azar.
Submeti em abril e até ao momento, nada.

comentários mais recentes
disalitervisum 31.05.2017

Alerto quem descarregou uma aplicação do portal das Finanças, em Abril ou Maio, e tem estado a preencher a sua declaração do IRS 2016 que esta vai ser recusada no momento em que a submeter online às Finanças.
Acontece que, em 24 de Maio, ou seja, há uma semana, as Finanças substituíram a aplicação por uma nova versão — ver https://irs.portaldasfinancas.gov.pt/menuDownIRS.action — passando a recusar as declarações dos contribuintes que não tenham a nova aplicação.
Como a nova versão 2017.1.5 não tem certificado digital, ao contrário da anterior, muitos computadores recusam naturalmente instalá-la. Foi preciso ir à segurança do computador assumir uma excepção, o que nem todos sabem fazer.
Se ainda faltarem 500.000 declarações, como diz este artigo, obviamente é uma armadilha em cima do fim do prazo para o governo facturar, pelo menos, 75 milhões de euros. Tiro o meu chapéu à esperteza de Costa e Centeno.


versão recente

1230cf 31.05.2017

Estou com azar.
Submeti em abril e até ao momento, nada.

É VERDADE 31.05.2017

Tambem já recebi o meu IRS há muito tempo. O governo prometeu e cumpriu. A maquina está oleada. Espero que agora se dediquem ao combate á evasão fiscal.

Anónimo 31.05.2017

Confirma. Este ano o reembolso do IRS surpreendeu pela celeridade da sua efetivação. Parabéns!

pub
pub
pub
pub