Economia Já vão 80 sessões com a Euribor a seis meses a perder terreno

Já vão 80 sessões com a Euribor a seis meses a perder terreno

As taxas interbancárias continuam a sua tendência de descida. Taxas de juro em mínimos históricos e liquidez no sistema interbancário continuam a justificar taxas aos níveis de 2010.
Diogo Cavaleiro 12 de abril de 2012 às 11:14
No dia 19 de Dezembro de 2011 a taxa Euribor a seis meses somou 0,1 pontos base e fixou-se em 1,668%. Foi a última subida.

Hoje, regista-se a 80ª sessão de quedas deste indexante dos empréstimos às famílias e empresas. A Euribor a seis meses foi hoje fixada em 1,053%, depois de perder 0,4 pontos base. Esta maturidade não descia à referida taxa desde 30 de Junho de 2010, há quase dois anos.

A queda das taxas interbancárias tem sido uma realidade desde o último mês de Dezembro, reflectindo as descidas da taxa de juro de referência levadas a cabo por Mario Draghi na presidência do Banco Central Europeu (BCE). Nos últimos meses, a taxa tem sido mantida no mínimo histórico de 1% e as perspectivas apontam para que daí não saia tão cedo e se sair é para voltar a descer para níveis nunca vistos na Era do euro.

O movimento de descidas consecutivas sentiu-se, igualmente, devido às operações de cedência de liquidez a três anos por parte da autoridade monetária. No conjunto de Dezembro e Fevereiro, o BCE emprestou mais de 1 bilião de euros a entidades financeiras, com o objectivo de trazer liquidez para o mercado interbancário.

Com a descida da pressão nas operações entre os bancos e com menores taxas de juro na região, os indexantes interbancários têm recuado. Consecutivamente. Isto porque com o acesso ao financiamento através do BCE, os bancos não precisam de recorrer ao mercado de financiamento directamente. O acesso a este mercado está praticamente congelado. E as taxas Euribor, além de serem indexantes nos empréstimos à habitação, por exemplo, são também taxas interbancárias. Ou seja, são os juros cobrados pelos bancos entre si nas operações de financiamento.

Se a taxa a seis meses verifica hoje a 80ª sessão de perdas, no que diz respeito à taxa a três meses é a 79ª sessão seguida em queda. Também em mínimos de Junho de 2010, este indexante desceu hoje 0,3 pontos base para 0,757%.

A Euribor a doze meses, que chegou a estar acima de 2% em Dezembro, recuou hoje 0,6 pontos base para se fixar em 1,387%. Já o indexante a nove meses está nos 1,232%, cedendo 0,5 pontos base. Ambas estão em mínimos de Julho de 2010.

A taxa a um mês, que na terça-feira quebrou o seu ciclo de descidas ao permanecer inalterada, perdeu novamente 0,1 pontos base para 0,411%.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 12.04.2012

Maravilha... que se mantenha assim por muito tempo, senão ainda mais famílias vão perder as suas casas

pub