Economia Japão e EUA ganham o maior número de milionários. Brexit trama britânicos

Japão e EUA ganham o maior número de milionários. Brexit trama britânicos

A nível mundial, os adultos com um património acima de um milhão de dólares aumentaram em 2% este ano. Há 32,93 milhões de milionários no mundo.
Japão e EUA ganham o maior número de milionários. Brexit trama britânicos
Rui Barroso 22 de Novembro de 2016 às 14:48

O Japão e os EUA foram os maiores viveiros de milionários este ano. No país asiático, o número de adultos com mais de um milhão de dólares de património cresceu 738 mil este ano para 2,8 milhões de milionários, segundo um estudo divulgado esta terça-feira pelo Credit Suisse. Já nos EUA, há mais 283 mil milionários. O número de americanos com uma riqueza acima do milhão de dólares é agora de mais de 13,5 milhões.

No Global Wealth Report, o Credit Suisse constata "que o Japão reverteu a tendência dos anos recentes". No entanto, o crescimento de milionários nessa economia é justificado principalmente pela apreciação de 19% do iene face ao dólar desde meados do ano passado. Já para os EUA, o banco refere que apesar da subida no número de milionários, o crescimento "é menor que a subida típica desde a crise financeira".

E se Japão e EUA ganham milionários, o Reino Unido perde. O número de adultos com um património acima de um milhão de dólares caiu 406 mil, o equivalente a 15%, para 2,22 milhões. Isto devido aos efeitos do Brexit na libra. Também na Suíça e na China o número de milionários teve quebras, de 58 mil e 43 mil, respectivamente.

A nível global, em termos líquidos, o número de milionários cresceu 596 mil este ano, o equivalente a 2%. Há 32,93 milhões de pessoas com mais de um milhão de dólares em património. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub