Orçamento do Estado Jerónimo chama ao PCP a iniciativa de aumento das pensões

Jerónimo chama ao PCP a iniciativa de aumento das pensões

O secretário-geral do PCP disse este domingo que o aumento das pensões e reformas no âmbito do Orçamento do Estado para 2017 acontecerá por iniciativa dos comunistas, que persistiram, começando por estar sozinhos nessa proposta para 2016.
Jerónimo chama ao PCP a iniciativa de aumento das pensões
Miguel Baltazar
Lusa 20 de Novembro de 2016 às 20:14

"O ponto de situação que podíamos fazer é este: hoje não se discute se vai haver ou não aumentos das reformas e pensões, hoje a questão está em saber quanto é que vão ser aumentadas por iniciativa do PCP", afirmou Jerónimo de Sousa este domingo, 20 de Novembro.

 

Numa intervenção no final de um almoço com militantes e simpatizantes em Ota, no concelho de Alenquer, o líder comunista começou por falar das notícias que surgem a atribuir a autoria de medidas aos vários integrantes do apoio parlamentar do Governo do PS (BE e PEV, além do PCP), com "alguns a tomarem a dianteira e a porem o dedo no ar".

 

"O PCP não faz questão de pôr o dedo no ar ou assumir protagonismo que não tem. O que dizemos é que onde o PCP tem proposta ou fez proposta, estivemos à altura dos compromissos que temos com os trabalhadores e com o povo", disse.

 

O líder comunista prosseguiu: "no quadro das pensões e das reformas era conhecida a posição do PCP": "Há muito que vínhamos discutindo uma contraproposta do Governo". "É preciso fazer aqui uma breve lembrança histórica, no Orçamento para 2016 ficámos sozinhos em relação à nossa proposta de um aumento extraordinário de 10 euros. A direita não nos acompanhou, naturalmente, mas nem PS nem BE nos acompanharam, e ficando sozinhos tudo convidava a desistir, mas não, persistimos, voltámos neste Orçamento do Estado a insistir nesta proposta justa", sustentou.

 

Jerónimo de Sousa argumentou ainda que a proposta de aumento de 10 euros considerou a questão fundamental de "recuperar e voltar a prestigiar a contribuição das carreiras contributivas".

 

Reconhecendo a justiça de aumentar nomeadamente as pensões mínimas sobretudo rurais a trabalhadores que não puderam descontar, o líder do PCP acusou PSD e CDS de terem dado "umas migalhas a algumas pensões mínimas".

 

"O PCP procura valorizar as carreiras contributivas porque é delas que resulta a sustentabilidade da segurança social", afirmou, recusando que se retirem do sistema público os grandes descontos, que perfazem pensões mais elevadas.

 

O secretário-geral comunista opõe-se a uma "segurança social apenas para os pobrezinhos, apenas para os carenciados, sem receitas, sem possibilidades de crescimento, enquanto essas contribuições elevadas iam directamente para as seguradoras". "Não deixaremos cair esta justa, justíssima medida, de valorizar quem descontou uma vida inteira", frisou.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Eu Há 2 semanas

O PCP vai na dianteira da fuga ao pagamento do IMI pelos partidos políticos. Cheios de propriedades e não querem pagar um tusto de IMI ao Estado. Têm uma grande lata!

Anónimo Há 2 semanas

Nao se faz a tia:no momento de levantar o dedo teve cocegas no cu,ora num momento de desespero vai-se primeiro atender as cocegas e claro,pois bem a blocada a ver aflicao do velhinho,levantaram elas primeiro o dedo,e assim ficaram como autoras da subida das pensoes dos publicos pobrezinhos de 1000.

Anónimo Há 2 semanas

O raio do velho e mesmo faminto:nao precisa de pagar iva sobre a trinqueta plastica e ainda quer mais.A cortesia de deixar as mulheres irem a frente esta a por o jeronimo canhoto em bicos de pes.Nao me parece justo que se roube a um velho a bandeira das pensoes,policia em accao,exige-se.Nao se faz .

pub