Política Jerónimo de Sousa defende fim do Pagamento Especial por Conta em 2018

Jerónimo de Sousa defende fim do Pagamento Especial por Conta em 2018

O líder comunista defendeu esta terça-feira a eliminação do Pagamento Especial por Conta em 2018, como estímulo às empresas em vez da baixa da Taxa Social Única (TSU), recordando que a medida está prevista no "Orçamento do Estado para 2017".
Jerónimo de Sousa defende fim do Pagamento Especial por Conta em 2018
Bruno Simão
Lusa 24 de janeiro de 2017 às 13:49

Jerónimo de Sousa falava após reunião com o parceiro de coligações eleitorais "Os Verdes", na sede dos ecologistas, em Lisboa, a fim de resumir as conclusões do seu XX Congresso, em Dezembro, em Almada.

 

"Está inscrito, aliás, no próprio orçamento: além da redução que se verificou, de 1.000 para 850 euros, a perspectiva de eliminá-lo em 2018", afirmou, lembrando a proposta de alteração do PCP, inicialmente para os 800 euros, mas que se veio a cifrar em 850.

 

O Pagamento Especial por Conta (PEC) é uma forma de entregar imposto sobre o rendimento ao Estado, previsto no Código do Imposto sobre Rendimentos Coletivos (IRC), com base nos resultados do ano anterior.

 

"As Pequenas e Médias Empresas (PME) não têm tanta preocupação em relação aos salários, mas sim nas limitações em relação aos custos de factores de produção e dificuldade de acesso ao crédito", continuou, insistindo na separação entre o aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN) e eventuais estímulos ao investimento feito pelas empresas.

 

Por iniciativa de BE e PCP, o parlamento discute e vota na quarta-feira uma apreciação parlamentar que pretende revogar o diploma do Governo socialista que baixa temporariamente a contribuição das empresas para a segurança social por cada trabalhador com SMN de 557 euros, algo acordado em concertação social.

 

Jerónimo de Sousa sublinhou as "dificuldades" e "alguma contradição" na actual situação política nacional, "tendo em conta que o PS ainda não conseguiu romper com a política de direita".

 

O líder parlamentar e presidente do PS, Carlos César, afirmou na véspera que se a baixa na TSU for 'chumbada' quarta-feira, o Governo socialista procurará uma alternativa com os parceiros políticos da esquerda e os parceiros sociais.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas

Antes de pedirem qualquer coisa façam leis que castiguem severamente os corruptos e dêm condições aos tribunais para que a justiça seja célere.

comentários mais recentes
pertinaz Há 3 semanas

TRAPALHÕES

TUDO PARA NÃO ENGOLIREM MAIS UM SAPO...

...QUANDO JÁ ENGOLIRAM TONELADAS DELES...!!!

Lr Há 3 semanas

Totalmente de acordo, já deveria ter acabado à muito tempo, obrigar contribuintes sujeitos à retenção na fonte, ao pagamento especial por conta é uma violência

Anónimo Há 3 semanas

Antes de pedirem qualquer coisa façam leis que castiguem severamente os corruptos e dêm condições aos tribunais para que a justiça seja célere.

pub
pub
pub
pub