Conjuntura Jerónimo disponível para continuar "caminho de reposição de rendimentos e direitos"

Jerónimo disponível para continuar "caminho de reposição de rendimentos e direitos"

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, disse hoje no Algarve que está disponível para continuar "o caminho de reposição de rendimentos e direitos" e tentar alcançar "novos avanços", em defesa dos cidadãos.
Jerónimo disponível para continuar "caminho de reposição de rendimentos e direitos"
Bruno Simão
Lusa 15 de setembro de 2017 às 17:14
"A esses comentadores do palpite, a essas almas desassossegadas, nós queremos dizer que a nossa perspetiva é continuar este caminho de reposição de rendimentos e direitos, que não perderemos nenhuma oportunidade para servir os interesses dos trabalhadores e do povo, conseguir novos avanços neste processo e nesta nova fase da vida política nacional", afirmou.

Jerónimo de Sousa referia-se à interpretação que foi feita de declarações suas à Imprensa, na última terça-feira, em que afirmou que a actual solução política foi "conjuntural" e que "dificilmente se repetirá".

Durante uma intervenção inserida numa acção de pré-campanha autárquica na Fuseta, no concelho de Olhão, distrito de Faro, Jerónimo de Sousa aproveitou para esclarecer que esta nova fase da vida política nacional "não é repetível, porque naturalmente as coisas evoluem".

Para o secretário-geral do PCP, a partir destas declarações, alguns analistas e comentadores fizeram "um desenho", partindo "de uma afirmação clara", uma "verdade de la Palice", mostrando-se "preocupados" com a possibilidade de o PCP estar "a querer retirar o tapete ao Governo", ironizou.

Durante a acção de apoio ao cabeça de lista da CDU à Câmara de Olhão, Sebastião Coelho, actualmente liderada pelo PS, o líder do PCP sublinhou que a devolução dos salários, reformas e pensões tem beneficiado a economia o país, caminho que é importante continuar num futuro próximo.

Admitindo que o aumento extraordinário das pensões é pouco, Jerónimo de Sousa lembrou que "durante anos, nos anos anteriores, foi sempre a cortar, a cortar e a congelar" e que desta vez "há um avanço que deve ser continuado no próximo Orçamento do Estado".

O líder do PCP considerou ainda que existe a "possibilidade praticamente real" de acabar com o corte "inaceitável" de 10% no subsídio de desemprego.

Por outro lado, insistiu na necessidade de repor as freguesias, tal como existiam antes de 2013, altura em que o governo PSD/CDS-PP levou a cabo uma reorganização administrativa do território.

Respondendo ao desafio de António Costa para que os partidos definam qual a sua posição perante uma reforma de descentralização, Jerónimo de Sousa disse ter "uma proposta imediata e concreta" a fazer.

"Devolvam as freguesias roubadas ao povo e aqui temos um exemplo de proximidade e de descentralização que é necessário realizar", sugeriu. 



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 16.09.2017

Isto é um fartar de vilanagem, primeiro paguem o que roubaram aos reformados e FP durante o período da BANCARROTA.

Lopes 15.09.2017

Mas que raio fuma este tipo para se julgar suficientemente esperto para enganar os outros? Por acaso caberá na cabeça do homem que os outros políticos não querem isso? Qual é o político que quer perder votos. O Arménio quando parar de fumar tem é de tentar perceber como é que isso se faz sem aumentar a dívida e, portanto, ficar ainda com menos dinheiro por causa de ter de pagar os juros.

Ouvi Jerónimo e Catarina 15.09.2017

Depois de ouvir o Jerónimo e a Catarina, Desabafei, por isso é que não Voto nestes FP, para Concluir, a Oposição é uma cambada de FP Piores, o melhor é Não Votar, na TV ou Rádio Sempre que aparecem, mudo de Canal. PQ os P

Os amanhãs que cantam do Jerónimo ... 15.09.2017

Então quando tiveres todos os direitos, e mais alguns, e não existir dinheiro no estado para os suportar, o que é que fazes?
Dou-te uma informação, que é de graça, o Estado está falido!
Tem de pedir emprestado para sustentar os seus funcionários.
Contigo ao leme a bancarrota é mais rápida...