Política Jerónimo recusa ser "domesticado", mas compromete-se contra "política de direita"

Jerónimo recusa ser "domesticado", mas compromete-se contra "política de direita"

O secretário-geral do PCP rejeitou esta sexta-feira que o partido esteja "domesticado", mas antes aberto a "tomar e assumir compromissos" contra a "política de direita", protagonizada por PSD/CDS e também PS.
Jerónimo recusa ser "domesticado", mas compromete-se contra "política de direita"
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 02 de Dezembro de 2016 às 12:00

"Podem repetir até à exaustão a historieta do PCP domesticado que não nos impressionam. Como não impressionaram ninguém quando há meses, perante a perspectiva de uma solução que condenava o seu Governo à derrota, diziam exactamente o contrário, e levantavam, agitados, o espantalho do assalto ao poder pelo PCP e do regresso do PREC, com o PS a reboque", afirmou Jerónimo de Sousa, no primeiro de três dias do XX Congresso Nacional dos comunistas, em Almada.

 

O líder comunista declarou que o problema do seu partido "não está, nem nunca esteve, em tomar e assumir compromissos", pois "esse é problema que há muito está resolvido entre aqueles que estão na luta pela transformação social".

 

"Mas sim o de saber que compromissos? Compromissos para traficar princípios? Não fazemos! Desiludam-se também aqueles que esperam ver um PCP resignado à inevitabilidade da política de direita", assegurou, no Complexo Municipal dos Desportos "Cidade de Almada".

 

Jerónimo de Sousa recusou ainda o "argumentário fraudulento que é a pureza ideológica do PCP que está hipotecada nesta nova fase da vida política nacional".

 

"Isto é dito pelos mesmos que andam há anos cinicamente a diabolizar e estigmatizar o PCP, caracterizando-o como um partido fechado no seu gueto e incapaz de fazer e tomar um compromisso. Como nós os entendemos e como lhes dói a coerência e a eficácia da intervenção e da luta do PCP", congratulou-se. 

Para o secretário-geral comunista não há "ilusões" - "a vida dos trabalhadores e do povo avança com a sua luta e se o PCP for cada vez mais forte!".

 

"Podem os sectores da direita mais retrógrada e reaccionária, visivelmente desorientados com a sua crescente perda de influência e perante os avanços na reposição de rendimentos e direitos, vir expelir doses de veneno contra o PCP. Isso só confirma a justeza do rumo que traçamos para servir os interesses dos trabalhadores e do povo", garantiu.

 

O líder do PCP disse que o partido vai continuar a intervir, "com consciência plena das contradições e exigências da nova fase da vida política nacional (...), determinado pelos seus compromissos com os trabalhadores e o povo e pela avaliação que a cada momento faz do conteúdo da política prosseguida".

 

"A questão fundamental que se coloca não é apenas a de evitar que PSD ou CDS regressem ao poder, mas sim impedir que a sua política, que o povo inequivocamente condenou nas eleições de outubro, seja desenvolvida por estes partidos ou pelo PS, e criar as condições para a concretização da política patriótica e de esquerda", disse.

(Notícia actualizada às 12:29 com mais informação)




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado AVerVamos Há 2 semanas

Tá bem Jerónimo, é o que quiseres..Sai uma bifana, e um copo três. O partido amigo do povo que odeia a "direita" e o capitalismo, mas que vive à custa dos mesmos, e num luxo escondido. Gostava de saber o que pensaria o povo mais idoso (já formatado) quando descobrissem que o PCP não só é partido com mais património (imobiliário), mas que vota a favor da isenção do IMI aos partidos. Pelo menos a hipócrita Catarina não nega a sua visão de comuna caviar, ou "comuna (que) BEMMMM". Vós sois o caviar VERMELHO envergonhado,

comentários mais recentes
pertinaz Há 2 semanas

JERÓNIMO ???

NÃO CONHEÇO BICHO TÃO DOMESTICADO COMO ESTE

FANTOCHE DO DIRECTÓRIO SECRETO DO PCP

joaoaviador Há 2 semanas

Comunistas? Lembro-me sempre do que o saudoso Millôr Fernandes dizia - " O comunismo é uma espécie de alfaiate que quando a roupa não fica boa, faz alterações no cliente".

Anónimo Há 2 semanas

A desonestidade intelectual desta gente não tem limites... tudo em troca dos mais básicos objectivos do homem... a sobrevivência individual, a criação de património individual. Milhões em imóveis... qual organização capitalista! Lobby para não pagar impostos, qual empresário! Viva Fidel! Viva Stalin

AVerVamos Há 2 semanas

Tá bem Jerónimo, é o que quiseres..Sai uma bifana, e um copo três. O partido amigo do povo que odeia a "direita" e o capitalismo, mas que vive à custa dos mesmos, e num luxo escondido. Gostava de saber o que pensaria o povo mais idoso (já formatado) quando descobrissem que o PCP não só é partido com mais património (imobiliário), mas que vota a favor da isenção do IMI aos partidos. Pelo menos a hipócrita Catarina não nega a sua visão de comuna caviar, ou "comuna (que) BEMMMM". Vós sois o caviar VERMELHO envergonhado,

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub