Economia João Vieira Lopes: “O cenário de eleições antecipadas é possível”

João Vieira Lopes: “O cenário de eleições antecipadas é possível”

O cenário de eleições antecipadas é “possível” mas o Presidente da República não estará, na opinião do presidente da CCP, “muito virado para essa solução”.
A carregar o vídeo ...
Catarina Almeida Pereira e Rosário Lira

O chumbo da redução da TSU no Parlamento gera "bastantes interrogações" sobre a estabilidade política. Sendo "possível", o cenário de eleições antecipadas pode não ser do interesse do Presidente da República e "só não é muito provável" este ano por causa das autárquicas.

Questionado sobre se a instabilidade política gerada pelo chumbo do desconto na TSU pode levar a eleições antecipadas, o presidente da CCP começa por admitir que sim.

"Depende muito do desenvolvimento mas é um cenário que acho que é possível", responde, em entrevista à Antena 1 e ao Negócios.

Ainda que esse cenário não interesse a Marcelo Rebelo de Sousa.

"Penso que o presidente da República não está muito virado para esse tipo de soluções mas acho que neste momento há bastantes interrogações", acrescenta.

O cenário de eleições antecipadas "só não é muito provável" já em 2017 por causa das autárquicas.

"Neste momento há uma focalização dos partidos nas autárquicas e além disso por parte dos partidos da maioria tem havido uma tentativa de separar o suporte ao Governo desta situação", ou seja, da instabilidade gerada depois de o PSD ter anunciado que vai juntar os seus votos aos do PCP e do Bloco de Esquerda para chumbar no Parlamento o desconto na taxa social única que tinha sido prometido aos patrões como contrapartida pelo aumento em 5,1% do salário mínimo nacional.

O cenário de eleições antecipadas foi defendido por Francisco Assis, que afirmou esta semana em entrevista à Antena 1 que a "maioria parlamentar deixou de existir".

Num artigo de opinião do Público, sustenta que serão difíceis os entendimentos à esquerda e à direita. "Qual a saída precária para tão precária situação? Por muitos custos que possa ter, não vislumbro outra que não passe a curto ou médio prazo pela realização de eleições legislativas antecipadas".

 

Numa primeira reacção, o dirigente do PS e secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, sublinhou a "proeza" de o eurodeputado socialista se ter antecipado à oposição quando sugeriu eleições antecipadas. "Vamos criar instabilidade política? Porquê? Para quem? Em nome do quê?"

 

"Não podemos desbaratar a estabilidade e os resultados que temos conseguido", acrescentou, citado pela TSF.

 

A Conversa Capital desta semana, onde o presidente da CCP também sugere que as alternativas à TSU passem pelo IRC e pelas tributações autónomas, será publicada na edição de segunda-feira do Jornal de Negócios.

 

 




A sua opinião18
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado matita42 22.01.2017

Desde que F. Assis escreveu aquele artigo a sugerir eleições antecipadas que a ideia vem germinando, mesmo no interior do PS, como o ex-deputado que não foi incluído nas listas do PS por estar contra o procedimento de Costa no desafio a Seguro e agora M. Alegre.
Esta solução pode ser viável para o próprio Costa, atendendo às sondagens é até uma tentação.
Não sei se sserá viável juntar as legislativas às autárquicas.

comentários mais recentes
Manuel G. Marques 23.01.2017

Tenho a impressâo que este Presidente da Républica, é um grande vendedor da "Banha-de-Cobra".Era bom que ele dissesse a verdade de maneira que todos compreendessem, e assim estarem sempre preparados para todos os casos. Ele lá tem as ideias dele, que nâo sâo bem as mesmas da mioría dos Portugueses.....

José Pereira 22.01.2017

Tens mesmo cara de parvo!!

ISTO ESTÁ O MAXIMO 22.01.2017

Não percebo o comentário do sr Lopes. As eleições antecipadas são possíveis, mas como o sr PR não as quer logo já não são possíveis. A direita não quer eleições pois seria humilhada, mas ameaça com elas. Não compreendo isto.

Simoes-rego Jose Alberto 22.01.2017

É sempre possível por isso a começar no governo e no resto dos partidos e só pistoleiros a atirarem uns aos outros para começar a enfiar barretes ao português a ver se eles os vestem . Mas será que os vão enfiar???

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub