Energia Juiz não vê indícios criminais contra Manuel Pinho

Juiz não vê indícios criminais contra Manuel Pinho

O jornal i diz que o juiz de instrução criminal Ivo Rosa não vê indícios suficientes da prática de crime por parte de Manuel Pinho. O ex-ministro foi ontem constituído arguido.
Juiz não vê indícios criminais contra Manuel Pinho
Negócios 04 de julho de 2017 às 10:09

O juiz de instrução criminal responsável pelo caso EDP, Ivo Rosa, considera que não existem indícios suficientes de prática de crime por parte de Manuel Pinho, escreve o i esta terça-feira, 4 de Julho. O magistrado não autorizou, na semana passada, o mandado de buscas à residência do ex-ministro da Economia, que fora pedido pelo Ministério Público, por considerar que não estavam lá elementos relevantes para a investigação.

 

Adicionalmente, o juiz Ivo Rosa aceitou que fosse declarada a nulidade da utilização de e-mails de Pinho como prova – vários investigadores terão consultado as comunicações electrónicas do ex-ministro e de outros arguidos sem autorização. Os advogados pediram a respectiva nulidade e o juiz aceitou.

 

Neste momento, conclui o i, o processo está praticamente vazio. Manuel Pinho foi esta segunda-feira ouvido na Polícia Judiciária a posteriormente constituído arguido, sujeito a termo de identidade e residência, a medida de coacção mais baixa. Até ao momento, nem Pinho nem os restantes arguidos foram interrogados pela polícia ou pelos procuradores, acrescenta o jornal.

 

As suspeitas sobre Manuel Pinho recaem sobre o desenho final das compensações a pagar a título de Custos de Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC), em 2007, quando era ministro da Economia, e também sobre o curso que a eléctrica pagou para o ex-ministro posteriormente leccionar na Universidade de Columbia, nos EUA.

Pinho caracterizou as suspeitas de corrupção de "um absoluto disparate".




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 04.07.2017

Sem os e-mails este processo morreu e a culpa é da investigação criminal e do MP, porque n se preocupou em tornar legal a recolha de provas...

comentários mais recentes
ANTONIO 04.07.2017

VIA DO INFANTE ENTRE TAVIRA E CASTRO MARIM COM FENDAS LONGITUDINAIS POR VÁRIOS KM, UMA VERGONHA.
PAGAMOS POR UM SERVIÇO QUE NÃO TEM QUALIDADE E SEGURANÇA.

Anónimo 04.07.2017

Este país e este regime estão podres......... Volta Salazar.

Pois claro 04.07.2017

Quanto é que o Pinho deu a este juiz?

Camponio da beira 04.07.2017

Mas pelo que já se sabe, mesmo não havendo crime, os prejuizos ao país, que a sua conduta permitiu deviam sair-lhe da carteira que é onde lhes doi mais....

ver mais comentários
pub