Justiça Juízes Rui Rangel e Fátima Galante constituídos arguidos

Juízes Rui Rangel e Fátima Galante constituídos arguidos

Rui Rangel e Fátima Galante foram constituídos arguidos no âmbito da chamada operação Lex, segundo avançou à Lusa uma fonte ligada ao processo.
Juízes Rui Rangel e Fátima Galante constituídos arguidos
Pedro Simões
Lusa 30 de janeiro de 2018 às 18:39
Os juízes desembargadores Rui Rangel e Fátima Galante foram hoje constituídos arguidos no âmbito da operação 'Lex' e vão ser inquiridos no Supremo Tribunal de Justiça, disse à Lusa fonte ligada ao processo.

A PJ deteve hoje cinco pessoas e constituiu vários arguidos numa operação a nível nacional para confirmar a eventual prática dos crimes de corrupção, recebimento indevido de vantagem, branqueamento, tráfico de influências e fraude fiscal qualificada.

Esta operação, denominada "Lex", foi realizada pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) e decorreu no âmbito de um inquérito que corre termos no Supremo Tribunal de Justiça, coadjuvado pelo Departamento Central Investigação e Acção Penal.

Em comunicado, a Polícia Judiciária adianta que durante a operação foram realizadas trinta e três buscas, sendo vinte domiciliárias, três a escritórios de advogados, sete a empresas e três a postos de trabalho.

Fonte da PJ disse à Lusa na manhã de hoje que as buscas realizadas incluíam a casa e o gabinete do juiz desembargador do Tribunal de Relação de Lisboa Rui Rangel, a SAD do Benfica, a casa do presidente do clube, Luís Filipe Vieira, assim como residências da ex-mulher de Rui Rangel, a juíza Fátima Galante, do advogado José Sousa Martins e do seu filho.

No comunicado, a PJ refere que entre os detidos (quatro homens e uma mulher) estão dois advogados e um oficial de justiça, e constituídos vários arguidos.

O advogado João Correia, mandatário de Luís Filipe Vieira, disse hoje que este não foi constituído arguido, mas admite essa possibilidade.

Rui Rangel e Fátima Galante terão se ser ouvidos no Supremo Tribunal de Justiça por serem juízes desembargadores.

Em Outubro de 2016, o Conselho Superior de Magistratura instaurou um inquérito ao juiz desembargador Rui Rangel, no âmbito do processo "Rota do Atlântico", depois de a Procuradoria ter também aberto uma investigação com origem numa certidão do processo "Rota do Atlântico".

Este inquérito, segundo o Conselho Superior de Magistratura, ainda decorre.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 30.01.2018

Esta juíza não é a mesma que há vários anos foi acusada de corrupção ? Ainda hoje mais de 90% do povo português não sabe como pode ter sido ilibada, dadas as provas mais que fundamentadas, apresentadas contra ela. Já diz o povo " Juiz não julga juiz " , quer dizer que juiz não vai para a cadeia.

Anónimo 30.01.2018

Só estes 2 juizes? Estou admirado!

pub