União Europeia Juncker diz que Europa “está a perder importância” e que é preciso “mais modéstia”

Juncker diz que Europa “está a perder importância” e que é preciso “mais modéstia”

O presidente da Comissão Europeia diz que os europeus deviam parar de dar lições a todos os outros, porque, ao contrário do que pensam, não são "a força motriz" da política internacional.
Juncker diz que Europa “está a perder importância” e que é preciso “mais modéstia”
Rita Faria 29 de agosto de 2017 às 16:13

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou esta terça-feira, 29 de Agosto, que a economia europeia "está a perder importância" no contexto global e que essa realidade se deverá acentuar nos próximos anos.

 

Na conferência dos embaixadores da UE em Bruxelas, o responsável disse ainda que os europeus deveriam ter "mais modéstia", até porque já não são "os mestres do mundo".

 

"Tendemos a acreditar que ainda somos os mestres do mundo. Damos lições à esquerda, à direita, ao centro, e mais além, porque acreditamos que somos a força motriz da política internacional. Mas isso não é verdade", afirmou Juncker, citado pela Bloomberg.

 

Por isso mesmo, acrescentou o presidente da Comissão Europeia, "precisamos de ter um maior grau de modéstia e parar de dar lições a todos os outros".

O político luxemburguês salientou ainda que a perda de importância da Europa na cena mundial deverá acentuar-se nos próximos tempos, apesar de a economia do Velho Continente não estar a desacelerar.

 

"Não somos uma economia em abrandamento, mas estamos a perder importância. Hoje, representamos 23%, 24%, 25% do PIB global. Penso que em poucos anos vamos descer abaixo do nível de 20%, por isso a nossa perda de influência será certamente sentida", acrescentou o responsável.  

Apesar disso, o presidente da Comissão elogiou a descida "considerável" do desemprego em alguns países da UE, e deixou um recado a França: "o problema é que há um país grande, não muito longe da Bélgica, que não está a conseguir reduzir os níveis de desemprego. E é por isso que estou a falar francês hoje", concluiu.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Indiano 29.08.2017

Este gajo é muito fraco...

General Ciresp 29.08.2017

Nem mais,e ja agora:quais sao os paises da EU que estao a tirar proveito do dinheiro barato e do petroleo mais barato que a agua?RIDICULO.

Anónimo 29.08.2017

A Europa só terá uma palavra a dizer se a Rússia (principalmente) e os restantes países de leste se unirem económica e politicamente. Mas à séria.

Sábia observação, de quem aos 29.08.2017

poucos vai conquistando espaço politico.

pub