Economia Juncker elogiou execução do programa português e antecipou festejos no futebol

Juncker elogiou execução do programa português e antecipou festejos no futebol

O presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, voltou hoje a elogiar a forma como Portugal está a executar o seu programa de ajustamento, numa conferência de imprensa marcada também pela vitória da selecção nacional de futebol, que "antecipou".
Lusa 21 de junho de 2012 às 22:37
"O programa português continua no caminho certo e as autoridades estão comprometidas", disse Juncker no final de uma reunião de ministros das Finanças da zona euro, no Luxemburgo.

O presidente do Eurogrupo disse que prosseguem em Portugal esforços de consolidação das finanças públicas e reformas para um crescimento sustentável, sendo a execução do programa português, assim como do irlandês, uma demonstração de que este é o caminho a seguir, apontando todavia que é necessário combater o alto desemprego entre os jovens.

Depois de uma reunião dominada por Espanha e Grécia, Portugal -- país a que normalmente só são feitas as referências elogiosas ao modo como tem aplicado o seu programa de ajustamento -- esteve desta feita mais uns instantes "sob os holofotes" durante a conferência de imprensa, devido ao futebol.

Numa altura em que ainda decorria, em Varsóvia, o encontro entre Portugal e República Checa, dos quartos de final do Europeu de 2012 (e o resultado era 0-0), Juncker, primeiro-ministro luxemburguês, começou por dizer que era do interesse de todos "despachar" rapidamente a conferência de imprensa, pois, conhecendo bem o Luxemburgo, onde "20 por cento dos habitantes são portugueses", e acreditando que Portugal iria ganhar, todos sentiriam muitas dificuldades no trânsito à saída do Conselho, devido aos festejos que antecipou para as ruas da capital do Grão-Ducado.

Juncker apenas teve uma falha no seu prognóstico quando antecipou que a vitória portuguesa seria alcançada "no prolongamento", o que, disse, daria mais algum tempo aos participantes no Eurogrupo para evitarem o caos no trânsito provocado pelos festejos dos adeptos portugueses.

Os "burburinhos" do golo da vitória de Portugal (de Cristiano Ronaldo) chegariam à sala de imprensa numa altura em que a directora-geral do Fundo Monetário Internacional falava sobre os resultados do encontro, tendo Christine Lagarde perguntado a Juncker e ao comissário europeu dos Assuntos Económicos, Olli Rehn, que falavam entre si sobre as novidades vindas de Varsóvia, se era suposto celebrar.


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Acidez 22.06.2012

o que o povo quer e' futebol.

josé Lopes 21.06.2012

Portugal ganhou à Rép. Checa.No futebol estamos entre os 4 melhores da Europa e nas finanças públicas somos o 4º País do Mundo com mais risco de falir. Talvez fosse boa idéia chamar o Cristiano para o Ministério do Dr. Victor Gaspar, visto que o rapaz parecer ser bom gestor do seu património. Parabéns pela victória. Estamos todos mais "descansados" e felizes.

pub