União Europeia Junqueras deixa farpa a Puigdemont: “Fui preso porque não me escondo”

Junqueras deixa farpa a Puigdemont: “Fui preso porque não me escondo”

O líder da Esquerda Republicana da Catalunha, Oriol Junqueras, deu esta manhã uma entrevista em que critica Carles Puigdemont por ter fugido para Bruxelas para escapar à prisão, após ter declarado a independência da Catalunha.
Junqueras deixa farpa a Puigdemont: “Fui preso porque não me escondo”
Reuters
Bruno Simões 18 de dezembro de 2017 às 11:21

Oriol Junqueras, líder da Esquerda Republicana da Catalunha, deu esta manhã uma breve entrevista à rádio RAC1 a partir da prisão de Estremera (Espanha), em que deixou críticas veladas a Carles Puigdemont pelo facto de o ex-presidente da Generalitat ter fugido para Bruxelas, ao invés de ter enfrentado a justiça espanhola. "[Estou preso] porque não me escondo nunca do que faço e porque sou consequente com os meus actos, decisões, pensamentos e vontades", afirmou.

 

Embora não se tenha referido directamente a Carles Puigdemont, a referência ao ex-presidente do Governo Regional catalão é claríssima. Junqueras, que era o número dois de Puigdemont na Generalitat, está preso desde 2 de Novembro, tal como outros membros do governo regional, pelo seu envolvimento no processo independentista. Ao contrário do ex-presidente do governo regional catalão, não fugiu para Bruxelas após a declaração unilateral de independência de 27 de Outubro.

 

"Mostrámos que damos a cara", disse ainda na referida entrevista, citada pelo El País, evidenciando que a recusa de Puigdemont se apresentar às autoridades espanholas não caiu bem junto do independentismo catalão. Tal como os restantes ex-conselheiros, Junqueras foi acusado de participação em rebelião, subversão e fraude, no seguimento da declaração unilateral de independência da região.

 

Junqueras é o candidato da ERC às eleições catalãs de 21 de Dezembro, convocadas após a dissolução do parlamento catalão decidida por Madrid. A média das sondagens, elaborada pelo El País, dá a vitória precisamente à ERC, com 32 lugares no parlamento catalão (em 135), seguido do Cidadãos, com 30 lugares, e do Juntos Pela Catalunha, encabeçado por Carles Puigdemont, com 28 a 29 lugares.

 

Ainda assim, os partidos independentistas não deverão lograr a maioria absoluta, prossegue o El País.

Apesar de estar preso, Junqueras tem participado na campanha eleitoral, tendo enviado uma mensagem de áudio de 46 segundos para um comício da ERC em Barcelona. A prisão onde se encontra abriu um processo e poderá impedi-lo de passar tempo no pátio.




pub