Economia Juros disparam em leilão em Itália (act)

Juros disparam em leilão em Itália (act)

Itália foi esta quarta-feira ao mercado vender 6,5 mil milhões de euros em dívida a um ano, mas teve de pagar juros mais elevados, já que o resgate à banca espanhola falhou em impedir o contágio da crise de dívida soberana.
Na emissão a 12 meses, os investidores exigiram uma taxa de 3,972%, 1,6 pontos percentuais mais do que os 2,34% cobrados na emissão anterior realizada a 11 de Maio.

A procura de obrigações foi equivalente a 1,73 vezes a oferta, o que compara com 1,79 vezes no último leilão comparável.

O resultado do leilão italiano demonstra a tendência de deterioração dos investidores estrangeiros nas finanças públicas de Itália antes de o país levar a cabo um leilão de dívida de longo prazo, observou um economista à Bloomberg. Amanhã, o Governo italiano vai leiloar dívida no valor de 4,5 mil milhões de euros.

“Apesar de este ser um aquecimento para o leilão de amanhã, a venda [de obrigações] de hoje expõe a deterioração da qualidade de crédito de Itália que tem sido conduzida pelo mercado externo”, disse o director da Spiro Sovereign Strategy, Nicholas Spiro, à Bloomberg. “O risco contágio regressou e Itália está a pagar o preço do pedido de ajuda de Espanha”, afirmou.

Depois de Espanha ter pedido ajuda para reforçar os capitais da banca, os investidores voltam agora a sua atenção para Itália que, no final do terceiro trimestre do ano passado, tinha uma dívida equivalente a 119,6% do PIB, segundo dados do Eurostat. O rácio foi, no entanto, dos que mais diminuiu na Europa a 27.

Itália enfrenta amanhã um teste maior quando vender 4,5 mil milhões de euros em dívida de longo prazo.


A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 13.06.2012

LÁ VÃO OS "PIGES" PARA O FUMEIRO.

EURO FALIDOS 13.06.2012

A zona Euro sendo gerida por EURO-INCOMPETENTES tinha de dar numa zona EURO-FALIDA muito boa para alimentar os mercados especializados em x.ular tudo e todos.

Anónimo 13.06.2012

Quanto mais depresa chegar aos alemães, mais depressa se começa a alterar esta politica estúpidsa!

RIP PT 2013 13.06.2012

1. Os mercados são insaciáveis, aprocura foi elevada mas também selectiva e cartelizada;
2. Vamos a caminho de quatro anos de crise das dívidas e a coisa está para durar;
3. Como disse na última crónica João Cândido da Silva, " Mais um Analgésico para o Moribundo";
4. O resgate encapotado a Espanha só podia dar nisto;

Cambada de euro-incompetentes !!!

ver mais comentários
pub