Empresas Leixões bate recorde com mais 47% de cargas de fora da UE

Leixões bate recorde com mais 47% de cargas de fora da UE

O porto de Leixões bateu um novo recorde de movimentações de mercadorias, tendo processado 14,6 milhões de toneladas de cargas nos nove primeiros meses deste ano, o que traduz um crescimento de 7% face a igual período do ano passado.
Leixões bate recorde com mais 47% de cargas de fora da UE
O porto de Leixões movimentou 14,6 milhões de toneladas de mercadorias nos primeiros nove meses deste ano, mais 7% do que em igual período do ano passado.
Rui Neves 25 de outubro de 2017 às 11:56

As cargas com origem ou destino em países de fora da União Europeia cresceram mais 47% em Leixões nos primeiros nove meses deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, contribuindo decisivamente para que este porto tenha batido um novo recorde de movimentação de mercadorias até Setembro.

 

De acordo com a autoridade portuária de Leixões (APDL), o maior porto do Norte do país processou cerca de 14,6 milhões de toneladas de mercadorias nos primeiros três quartos do ano, o que representa um crescimento de 7% face ao período homólogo do ano passado,

 

Nos principais segmentos de mercadorias, destaca-se a tendência de crescimento na movimentação de granéis líquidos, mais 1,14 milhões de toneladas acumulada até Setembro, o que traduz um crescimento homólogo de 21%, e da carga "ro-ro", que continua em alta com um crescimento acumulado de 16%, "reforçando a posição de Leixões como líder em Portugal neste tipo de tráfego portuário", enfatiza a APDL

 

Também o terminal de cruzeiros de Leixões continua a bater recordes, tendo fechado os primeiros nove meses deste ano com mais 42% de passageiros e de 22% no número de escalas de navios, face ao mesmo período do ano passado, prevendo chegar aos 100 mil passageiros até ao final do ano.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub