Empresas Leixões bate recorde e Lisboa máximo desde 2011

Leixões bate recorde e Lisboa máximo desde 2011

O porto de Leixões atingiu um novo máximo histórico: movimentou em 2017 cerca de 19,5 milhões de toneladas de mercadorias, mais 1,2 milhões do que no ano anterior. Já no de Lisboa a carga movimentada aumentou 19%, para 12,1 milhões de toneladas, o maior volume desde 2011.
Leixões bate recorde e Lisboa máximo desde 2011
Bruno Simão
Rui Neves 24 de janeiro de 2018 às 10:11

Os portos nacionais continuam em maré alta. Já há números finais relativos à actividade dos de Leixões e de Lisboa em 2017: o maior da região Norte movimentou 19,5 milhões de toneladas de carga, mais 8% do que no ano anterior e que representa um novo recorde, enquanto o da capital há seis anos que não transportava tanta carga - 12,1 milhões de toneladas, o que traduz um crescimento de 19% face a 2016.

 

Nunca o Porto de Leixões movimentou tanta mercadoria. Em 2017 foram transportadas 19,5 milhões de toneladas de carga, mais 1,2 milhões do que em 2016.

 

Em Leixões, a performance atingida em 2017 ultrapassa em 725 mil toneladas o anterior máximo datado de 2015.

 

O movimento de granéis líquidos e de carga "ro-ro" atingiu valores nunca antes vistos, ambos com um incremento de 18% face a 2016. Destaque para o "roro-ro", que superou, pela primeira vez, a barreira de um milhão de toneladas.

 

A média mensal em Leixões ultrapassou os 1,6 milhões de toneladas, "com os meses de Maio e de Outubro a contribuírem de forma expressiva para o sucesso do balanço de mercadorias", enfatiza a autoridade portuária (APDL), em comunicado.

 

Relativamente às principais mercadorias exportadas em 2017 a partir de Leixões, destacam-se a carga contentorizada, os produtos refinados diversos, o ferro e aço, e ainda o granito.

 

Relativamente a mercadorias importadas, salientam-se o petróleo em bruto, a estilha de madeira e também a sucata de ferro.

 

No porto de Lisboa, o grande destaque vai para o movimento de contentores, que aumentou 26% em 2017 face ao ano anterior, para mais de 493 mil TEU (medida padrão de um contentor).

 

Já os granéis sólidos obtiveram o melhor resultado dos últimos 10 anos, com mais de 5,3 milhões de toneladas, enquanto que os granéis líquidos inverteram a tendência de descida registada desde 2009 e aumentaram 15%.

 

O embarque de mercadorias cresceu 33% face a 2016, tendo representado 42% da totalidade da carga movimentada no porto da capital no ano passado.

 

"Estes números são muito encorajadores, sobretudo porque demonstram o acerto da estratégia adoptada, com foco no crescimento, sustentado na paz social no porto", afirma Lídia Sequeira, presidente da Administração do Porto de Lisboa, em comunicado.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub