Mundo Líder da oposição russo detido antes de participar num protesto contra a corrupção

Líder da oposição russo detido antes de participar num protesto contra a corrupção

O líder opositor russo, Alexei Navalny, organizador das manifestações de protesto contra a corrupção convocadas hoje na Rússia, foi detido à porta de casa, antes de poder dirigir-se ao protesto em Moscovo, informou a sua mulher.
Líder da oposição russo detido antes de participar num protesto contra a corrupção
Reuters
Lusa 12 de junho de 2017 às 12:54

"Saudações. Eu sou Yulia Navalnaya. Felicidade a todos pela festa (Dia da Rússia). Alexei foi preso à porta de casa. Pediu-me para transmitir que os planos não mudaram: Tverskaya", escreveu a mulher, na conta de Twitter do opositor.

 

Navalny mudou no domingo à noite o lugar do protesto em Moscovo, da zona em que havia sido autorizado pela autarquia da cidade para a região da rua Tverskaya, onde hoje têm lugar as celebrações pelo "Dia da Rússia", o que foi qualificado pelas autoridades como "uma provocação".

 

Milhares de apoiantes de Nalvany estão a manifestar-se através da Rússia, tendo sido muitos presos em Moscovo, já que o local onde estavam a protestar estava interdito, informaram os meios de comunicação russos.

 

Esta é a segunda vaga de manifestações, depois de 26 de Março, organizadas por Nalvany, que lidera uma campanha anticorrupção na internet e anunciou a intenção de desafiar o Presidente, Vladimir Putin, nas eleições presidenciais de 2018.

 

Segundo os medias locais, cerca de 3.000 pessoas juntaram-se em Novossibirsk, na Sibéria, e outras manifestações de menor dimensão ocorreram em Krasnoïask, Kazan, Tomsk, Vladivostok e outras cidades.

 

Em Moscovo, uma dezena de pessoas foram presas antes do início da manifestação prevista para às 14:00 locais (12:00 em Lisboa), segundo o site OVD Info.

 

O 12 de julho, "Dia da Rússia", é comemorado em todo o país e lembra a independência em 1990, antes da dissolução oficial da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), sendo um feriado marcado por inúmeros eventos públicos, nomeadamente reconstituições históricas, assim como uma receção oferecida por Putin no Kremlin.

 

No dia 26 de março, várias centenas de pessoas foram presas na capital durante a maior manifestação antigovernamental em anos. Navalny passou 15 dias na prisão nesta altura. 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 12.06.2017

ASSIM VAI A FANTOCHADA DA DEMOCRACIA RUSSA DO PUTIN E MEDVEDEV. CANALHAS UM DIA VÃO SER CORRIDOS A PONTAPÉ. A HISTÓRIA ESTÁ CHEIA DE HISTÓRIAS DESTE TIPO DE DITADORES FANTOCHES. ERA ISTO QUE O PCP ADORAVA PARA PORTUGAL, A ROTATIVIDADE DOS MESMOS.

MNLSLB10 12.06.2017

O dia da Rússia não é para todos os Russos.

bazanga 12.06.2017

Viva a democracia! Viva a Rússia!

pub
pub
pub
pub