Europa Líderes europeus apontam fracos progressos no Brexit. E pedem mais até Dezembro

Líderes europeus apontam fracos progressos no Brexit. E pedem mais até Dezembro

No final de uma cimeira de dois dias, em Bruxelas, os líderes europeus lamentaram os escassos progressos feitos nas negociações do Brexit e voltaram a chutar a bola para o campo do Reino Unido. A fase dois só arrancará em Dezembro se Theresa May demonstrar avanços.
Líderes europeus apontam fracos progressos no Brexit. E pedem mais até Dezembro
Negócios 20 de outubro de 2017 às 14:33

O Reino Unido não apresentou ainda as garantias suficientes – nomeadamente no que respeita à factura financeira do Brexit – e por isso mesmo a União Europeia não aceitará avançar para a próxima fase das negociações, pelo menos até Dezembro.

 

Foi esta a visão partilhada pelos líderes europeus, depois da cimeira de dois dias, em Bruxelas, onde foi analisado o ponto de situação dos termos do divórcio entre o Reino Unido e o bloco regional dos 27.

 

A Theresa May, líder do Executivo britânico, os responsáveis europeus pedem mais garantias sobre as questões que têm motivado o impasse – factura financeira, direitos dos cidadãos e fronteira irlandesa – para que no final do ano possam avançar para a chamada "fase dois" das negociações, em que será debatida a futura relação entre o Reino Unido e a UE pós-Brexit.

 

"Esperamos que até Dezembro tenhamos feito o suficiente para permitir que a segunda fase comece, mas isso depende dos progressos do Reino Unido", afirmou Angela Merkel, no final do encontro, acrescentando que "é muito claro" que passos precisam de ser dados.

 

A chanceler alemã esclareceu que o principal obstáculo é o facto de o Reino Unido não clarificar a sua disponibilidade para honrar os compromissos financeiros com o bloco, que os responsáveis europeus quantificam em torno de 60 mil milhões de euros.

 

Sobre este tema, o presidente francês Emmanuel Macron assegurou que o trabalho "nem sequer vai a meio". "Muita coisa está nas mãos de Theresa May", afirmou o líder francês, na conferência de imprensa, citado pela Reuters.

 

"Infelizmente, o ponto de situação regista que estamos aquém das expectativas [no Brexit] quer no dossiê financeiro quer sobretudo [em relação] aos direitos das pessoas. Estamos bastante atrasados", confirmou o primeiro-ministro português António Costa.

Segunda fase das negociações deverá arrancar em Dezembro

Apesar dos parcos progressos nas questões centrais da "primeira fase" das negociações sobre o Brexit, os líderes europeus deram hoje "luz verde" aos preparativos internos da União Europeia a 27 para a passagem à "segunda fase" em Dezembro, caso o Reino Unido faça a sua parte até essa data.

"Esperamos poder avançar para a segunda fase das negociações em Dezembro conforme as conclusões hoje adoptadas sobre o 'Brexit'", afirmou Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu. "Precisamos de uma narrativa mais positiva".

 

Tusk sublinhou ainda que os relatos sobre um bloqueio nas negociações são "exagerados", até porque houve alguns progressos, ainda que tenham sido "insuficientes".

 

"Os relatos sobre um bloqueio nas negociações [entre a União Europeia e o Reino Unido] foram exagerados, o progresso é insuficiente, mas não inexistente", clarificou o responsável na conferência de imprensa no final dos trabalhos do Conselho Europeu.

 

Por seu lado, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, sublinhou ter usado quatro vezes o termo 'bloqueio' e adiantou que ninguém sabe explicar detalhadamente o que significa um "não acordo".

 

"Queremos um acordo justo e equilibrado com o Reino Unido", salientou.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub