Política Luís Fazenda critica Marcelo por interferir em assuntos de governação

Luís Fazenda critica Marcelo por interferir em assuntos de governação

O dirigente do Bloco de Esquerda defende, em entrevista à Antena 1, que o Presidente da República imiscui-se em assuntos da governação.
A carregar o vídeo ...
Marta Moitinho Oliveira 02 de fevereiro de 2017 às 13:40
O dirigente do Bloco de Esquerda Luís Fazenda considera que o Presidente da República interfere nos assuntos de governação e critica essa opção de Marcelo Rebelo de Sousa.
 
"Imaginemos que o Presidente da República, este ou outro qualquer, decide a destempo e de outra forma que não aquela que é a vontade expressa do Governo minoritário, entender que a política deve ser não aquela que é traçada pelo Governo mas uma outra que ele entender no seu conceito ser mais adequada. Ora isso não é aceitável. O princípio está cá para o bem ou para o mal (..) o que importa é preservar os princípios", diz Fazenda em entrevista à Antena 1.

Para este membro da comissão política do Bloco de Esquerda, o Presidente da República está a desrespeitar os acordos estabelecidos para a actual solução governativa.     

"Em algumas matérias o Presidente da República desconsiderou" os acordos feitos, admite Fazenda, destacando como exemplo o caso da taxa social única (TSU). "O Presidente da República não podia desconhecer as posições" do Bloco e do PCP, contra a medida, diz Luís Fazenda, lembrando que Marcelo incentivou o acordo em concertação social que continha a redução da TSU. 

Luís Fazenda critica ainda as soluções de António Costa para a Europa - são "paliativos" - e lembra que a ideia do Fundo Monetário Europeu é até defendida pelo ex-primeiro-ministro, Passos Coelho. "A dívida portuguesa não é sustentável neste ritmo", avisou o dirigente do Bloco. O partido liderado por Catarina Martins tem defendido uma reestruturação da dívida.

O dirigente do Bloco admite que "há um problema de coordenação política no Governo", que deve perceber as áreas que "podem conflituar", de forma a antecipar os problemas através de um "diálogo permanente". No entanto, Fazenda diz que este não é ainda um sinal amarelo dos partidos da maioria de esquerda para o Executivo. Até porque os acordos são para a legislatura. Esta solução "não se está a esgotar", diz. "O texto da posição conjunta não está completamente cumprido."
A carregar o vídeo ...



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 02.02.2017


A geração rasca… de esquerda

A MALTA DA FP E CGA QUER PÔR O PAÍS NA BANCARROTA... OUTRA VEZ.

PARA A ESQUERDA, os trabalhadores do privado servem apenas para pagar cada vez mais impostos, para sustentar as benesses e os privilégios da FP e da CGA.

Os salários dos trabalhadores do privado desceram imenso nos últimos anos... enquanto no público igualaram o seu máximo de sempre, em 2016.

comentários mais recentes
Cardosao 02.02.2017

Com esta inteligência talvez tenha lugar para tirar bicas no bar dos lacraus.

Anónimo 02.02.2017


A geração rasca… de esquerda

A MALTA DA FP E CGA QUER PÔR O PAÍS NA BANCARROTA... OUTRA VEZ.

PARA A ESQUERDA, os trabalhadores do privado servem apenas para pagar cada vez mais impostos, para sustentar as benesses e os privilégios da FP e da CGA.

Os salários dos trabalhadores do privado desceram imenso nos últimos anos... enquanto no público igualaram o seu máximo de sempre, em 2016.

Anónimo 02.02.2017

O país precisa de entrada de capital para se modernizar e evoluir. Não com gente assim que vamos conseguir. Fazenda vive dos impostos pagos pelo povo.

olholisto 02.02.2017

O jogo está a terminar e a culpa é do arbitro. Mas a onde é que eu já vi isto?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub