Mário Soares: "Actual crise seria resolvida se Europa fabricasse moeda"
16 Junho 2012, 21:24 por Lusa
Enviar por email
Reportar erro
0
O ex-Presidente da República Mário Soares defendeu hoje que a actual crise na Europa seria resolvida se o Banco Central Europeu (BCE) fabricasse moeda, "como fazem os americanos e os ingleses".
“Se fosse possível, isso resolveria o problema. Na situação em que estamos, em toda a Europa, era interessante que eles [BCE] comecem a fabricar a moeda, como fazem os americanos e os ingleses”, afirmou. “A partir daí os problemas estão resolvidos”, acrescentou.

Para o antigo Chefe do Estado, impunha-se uma mudança nos tratados europeus que permitisse ao BCE a emissão de moeda.

Falando em Amarante numa conferência sobre questões europeias, Mário Soares considerou que a Europa “está à beira do abismo”, acusando os líderes das grandes instituições europeias de “não terem coragem para se pronunciarem”.

“No final desta semana vamos ter problemas terríveis em matéria da Europa”, afirmou, admitindo estar preocupado com o resultado das eleições de domingo na Grécia e as reacções aos resultados dos governantes europeus. “Se a Grécia não ficar no euro isto vai ser uma desgraça”, disse, sublinhando que as consequências irão afectar a França e a Alemanha. “Seria tão estúpido que a Europa caísse no abismo”, insistiu, mostrando-se esperançado: “à última hora, o bom senso vai prevalecer”.

Mário Soares considerou que a chanceler alemã é um das grandes responsáveis da situação actual na zona euro e acusou Angela Merkel de “não ter visão nenhuma do mundo”. A chefe do Governo alemão está hoje “mais isolada” na Europa, afirmou.

Para Mário Soares, a recente vitória do socialista [François] Hollande, em França, acentua o isolamento crescente de Angela Merkel, até no seu país.

O ex-Presidente da República reafirmou a necessidade de os Estados criarem mecanismos para que os mercados voltem a ser controlados pela política e não o contrário, como acontece actualmente.

Ainda a propósito das dificuldades actuais da moeda única, disse que estão a ocorrer porque, ao contrário do que sempre defendeu, a Europa não evoluiu para uma união política.

Mário Soares foi o orador convidado para mais uma conferência promovida pela autarquia de Amarante, na qual também participou o deputado socialista Francisco Assis.

Do seu longo percurso político, Mário Soares admitiu que o seu maior motivo de orgulho foi a luta que travou durante 32 anos contra a ditadura.

Recordando a entrada da Portugal na CEE e mais tarde no euro, reafirmou que essas foram opções positivas e indispensáveis para o país, na sequência da descolonização.



Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags:
alertasPor palavra-chave: