Política Macron é oficialmente candidato às eleições presidenciais de França

Macron é oficialmente candidato às eleições presidenciais de França

Emmanuel Macron apresentou a sua candidatura oficial à Presidência de França.
Macron é oficialmente candidato às eleições presidenciais de França
Reuters

Emmanuel Macron apresentou a sua candidatura oficial à Presidência da República de França, depois de nos últimos meses terem surgido várias notícias que davam conta desta possibilidade.

 

Depois de se ter demitido em Agosto de ministro da Economia, o político de 38 anos apresentou-se esta quarta-feira, 16 de Novembro, como candidato independente. "Sou candidato à Presidência da República", afirmou em conferência de imprensa.

 

Macron foi uma aposta pessoal do actual Presidente François Hollande, que resgatou para o elenco governativo o então conselheiro para a área económica e banqueiro especializado na área do investimento. Mas houve um afastamento entre os dois responsáveis.

 

O agora candidato tem a seu favor a popularidade, tanto junto da imprensa como dos eleitores, em contraste absoluto com Hollande. Em França fala-se mesmo na "Macron-mania". Mais de 30% do eleitorado acreditava, em Julho, que Macron será um bom presidente e 53% crê que é portador de novas ideias. Isto apesar de a polémica reforma laboral ser conhecida pelo nome de Macron, o seu principal promotor.

 

Macron junta-se assim a Nicolas Sarkozy, Marine Le Pen e Alain Juppé na corrida às eleições presidenciais. François Hollande poderá também concorrer, uma vez que só completa um mandato.

 

O candidato hoje conhecido assume-se claramente como um liberal, dizendo não ser de esquerda nem de direita (tal como o movimento Em Frente), o que o ajuda a obter aceitação em ambos os espectros eleitorais. Já Hollande, acusado de ter sido eleito com promessas de políticas de esquerda para depois governar à direita, surge preso, por motivos eleitorais, a um discurso tendencialmente de esquerda.

 

As eleições presidenciais são já no próximo ano. Com a segunda ronda a ocorrer em Maio.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Fernando Ferreira Há 3 semanas

As poucas hipóteses de François Hollande passar à segunda volta desvanesceram-se por completo com a inclusão de Emmanuel Macron na lista de candidatos.
Emmanuel Macron não passará à segunda volta, mas terá uma votação igual ou superior à do próprio François Hollande, caso decida avançar.

Eugenio Há 3 semanas

O Sarkosy e o Juppé nao sao candidatos as presidenciais e nunca serao os dois!
Hoje, sao apenas candidatos com mais 5 às primarias da direita (LR); primeira volta este domingo...
E foram dois jornalistas a escrever o artigo!....
Quanto ao Macron foi traicao direta ao presidente que o fez nascer

pub
pub
pub
pub